“Durmo 4h por noite”, diz brasileiro no grupo que pesquisa vacina de Oxford

Infectologista Pedro Folegatti trabalha na equipe que desenvolve um dos mais promissores métodos de imunização contra o coronavírus

atualizado 21/07/2020 18:02

Pedro FolegattiArquivo Pessoal

A Universidade de Oxford divulgou nessa segunda-feira (20/7) detalhes da primeira fase de testes em humanos da vacina contra Covid-19a imunização é segura e capaz de induzir resposta nos voluntários. Um dos líderes da pesquisa, o brasileiro Pedro Moreira Folegatti conta que o trabalho tem sido incessante desde fevereiro.

O médico infectologista é um dos responsáveis pelos ensaios clínicos e admite: “Tenho dormido, em média, quatro [horas]”. Em entrevista à BBC News Brasil, Folegatti explicou um pouco da sua rotina de trabalho.

“Temos trabalhado dia e noite, final de semana, feriado, desde o final de fevereiro, para fazer esses ensaios clínicos acontecerem”, afirma o médico. A participação dele na pesquisa abrange várias frentes: atua na concepção do estudo, escreve protocolos e participa da implementação e do acompanhamento dos voluntários durante os ensaios clínicos.

Apesar de animado com a velocidade com a qual a vacina vem sendo desenvolvida, o brasileiro reforça a necessidade de as pessoas estarem atentas ao conhecimento científico para que se previnam da Covid-19. “É importante que as pessoas saibam que não é só uma gripezinha, não é só um resfriado, existem milhares de vidas perdidas por conta dessa doença e as pessoas precisam fazer o papel delas: ficar em casa, usar máscara em ambientes públicos, lembrar de lavar as mãos várias vezes ao dia. Essas medidas são bastante importantes como estratégia de contenção do vírus na ausência de um tratamento ou vacina eficazes.”

0

Últimas notícias