Doenças respiratórias aumentam durante o outono. Saiba como prevenir

Asma e rinite são as infecções mais comuns e duram cerca de 7 dias. No mundo todo, mais de 400 milhões de pessoas sofrem com esses problemas

Tharakorn, Istock

atualizado 27/03/2019 17:36

Com a chegada do outono, a temperatura tende a ficar mais amena, especialmente à noite, e a umidade relativa do ar cai. Terreno fértil e propício para o surgimento de doenças respiratórias e alergias. Rinite e asma são as mais comuns. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que 400 milhões de pessoas sofrem com rinite alérgica em todo o mundo.

Espirros; coriza; obstrução nasal; coceiras no nariz, ouvido e garganta; tosse e falta de ar são os principais sintomas desta época do ano. Segundo Clovis Galvão, integrante do Departamento Científico de Alérgenos da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai), o tratamento indicado é baseado em anti-histamínicos com ou sem descongestionantes, broncodilatadores e corticoides.

“Porém, todos eles têm efeitos colaterais em potencial, de forma que desaconselhamos a automedicação e recomendamos sempre consultar o médico especialista quando houver suspeita de alergia”, alerta o especialista.

Dependendo do grau da infecção, o paciente pode se valer de dicas caseiras para aliviar os sintomas, como o uso do umidificador de ar, o consumo de chás com ingredientes naturais, além de realizar lavagens nasais com soro fisiológico. Os sintomas de doenças típicas do outono costumam desaparecer em até 7 dias.

Outra recomendação dos especialistas é evitar locais fechados, grandes aglomerações, lavar as mãos com frequência ou usar o álcool. É importante lembrar também que é possível se vacinar contra a gripe. Ela é gratuita para idosos, crianças e gestantes.

Últimas notícias