Dieta ruim afeta mais o ânimo das mulheres do que dos homens, sugere estudo

Pesquisa afirma que a prática de exercícios físicos melhora o estado de espírito mesmo que hábitos alimentares não sejam saudáveis

atualizado 11/06/2021 17:07

junk food fast foodMarcel Heil/Unsplash

O que você come faz uma grande diferença na sua saúde mental. Para mulheres com mais de 30 anos, uma dieta saudável pode ser crucial para evitar ansiedade, depressão e angústia, de acordo com um estudo publicado em maio de 2021 no Journal of Personalized Medicine.

Os pesquisadores da Binghamton University, em Nova York, acompanharam 322 mulheres e 322 homens, com 30 anos ou mais, com foco em informações sobre seus hábitos alimentares, prática de atividades físicas e padrões de humor.

Eles descobriram que comer alimentos como nozes, peixes e verduras estava associado a um humor mais positivo relatado pelos entrevistados. Em contraste, ingerir comidas do tipo fast-food e pular o café da manhã foram associados a piores estados de ânimo.

Os alimentos com alto índice glicêmico, que aumentam o açúcar no sangue rapidamente, como pão branco e alimentos açucarados, também foram relacionados a estados de ânimo mais negativos. 

No entanto, o efeito de hábitos alimentares ruins nas mulheres é significativamente mais negativo do que nos homens, de acordo com Lina Begdache, autora principal e professora assistente de estudos de saúde e bem-estar na Binghamton University.

“Curiosamente, descobrimos que para padrões alimentares não saudáveis, o nível de estresse mental era maior nas mulheres do que nos homens, o que confirmou que as mulheres são mais suscetíveis a alimentos não saudáveis ​​do que os homens”, disse Begdache em um comunicado à imprensa.

Os pesquisadores, no entanto, esclarecem que se trata de um estudo que avalia a correlação e não a causa, então não está claro se os alimentos são os responsáveis pelas mudanças no humor.

Pode ser, por exemplo, que pessoas mais felizes sejam mais propensas a fazer escolhas mais saudáveis, enquanto pessoas ansiosas ou deprimidas tendem a buscar conforto em alimentos que são menos saudáveis.

Exercício como aliado
Outro aspecto importante que apareceu na pesquisa foi a relevância dos exercícios físicos para a saúde mental dos entrevistados. Tanto homens quanto mulheres que se exercitam, mesmo que pouco, relataram um estado mental melhor do que seus pares sedentários.

Isso acontecia mesmo quando comiam alimentos não saudáveis. Isso sugere que os exercícios podem atenuar os efeitos colaterais psicológicos de comer junk food caso sejam executados regularmente.

A próxima etapa da pesquisa pretende aprofundar aas relações entre dietas, exercícios e humor.

 

Últimas notícias