Dia D contra sarampo: campanha vacina crianças menores de 5 anos

Este sábado é dia de mobilização para a imunização de bebês a partir dos 6 meses de idade e crianças com até 4 anos, 11 meses e 29 dias

Breno Esaki/Saúde DFBreno Esaki/Saúde DF

atualizado 17/10/2019 17:30

Neste sábado (19/10/2019), ocorre mais uma etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo. O foco são crianças maiores de 6 meses e menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias), como recomenda o Ministério da Saúde. O objetivo é atualizar o cartão de vacina com a tríplice viral que, além de proteger contra o sarampo, é eficaz contra rubéola e caxumba. A campanha segue até 25 de outubro. A próxima etapa acontece de 18 a 30 de novembro e terá como alvo pessoas de 20 a 29 anos.

Nesta campanha, foi intensificada a dose zero, uma medida preventiva ao aumento de casos de sarampo em crianças abaixo de 1 ano de idade. Em surtos nacionais anteriores, foram os menores de 1 ano que evoluíram para casos mais graves e óbitos, segundo o Ministério da Saúde. Mas, no surto atual, há óbitos de crianças em São Paulo e Pernambuco.

Pela faixa etária, do início da campanha até o dia 10 de outubro, o percentual de crianças abaixo de 1 ano que compareceu e que foi vacinado chegou à marca de 61,85%. Na faixa de 1 ano, o percentual foi de 58,26%.

“Já era esperado um percentual alto na busca pela imunização para os menores de 1 ano, por ser uma faixa etária nova, implementada nesta campanha pelo Ministério da Saúde devido à incidência de sarampo nesta idade”, complementa Renata Brandão, gerente de Imunização da Saúde.

É importante lembrar que a dose extra, chamada de dose zero, não consta no calendário nacional de vacinação. Portanto, ela não substitui as outras duas, ministradas aos 12 meses de idade (1ª dose) e aos 15 meses (2ª dose). Essas devem ser aplicadas para conferir proteção prolongada contra a enfermidade.

Outro objetivo da campanha é que os os pais ou responsáveis levem as crianças às unidades básicas de saúde, com o cartão de vacina, para que a situação vacinal das crianças seja verificada. “Os pais devem ficar atentos ao novo reforço, que é a dose zero, que protege as crianças abaixo de 1 ano, que têm o maior risco de complicações e de óbito”, frisa Renata.

O sarampo é contagioso e o vírus é transmitido por uma pessoa doente ao espirrar, tossir ou falar. Os sintomas são manchas vermelhas pelo corpo, febre, coriza, conjuntivite e manchas brancas na mucosa bucal. A patologia pode acometer adultos e crianças, com risco de complicações graves e até de evolução para óbito. A vacina é a única maneira de evitar que isso aconteça.

Clique aqui para saber os endereços das salas de vacina.

Últimas notícias