Covid: Saúde vai recomendar 4ª dose da vacina a partir de 50 anos

Em evento na manhã desta quinta (2/6), ministro da Saúde afirma que o país tem doses suficientes e pode começar a aplicação na faixa etária

atualizado 02/06/2022 11:30

Mão aplicando vacina em braço de mulher com blusa preta de alçaAgência Brasil

O Ministério da Saúde vai ampliar a recomendação para a segunda dose de reforço contra a Covid-19 para a faixa etária a partir de 50 anos. Atualmente, a quarta dose está prevista para pessoas com mais de 60 anos e imunossuprimidos.

“A segunda dose de reforço já está autorizada para 60 anos e vamos ampliar para 50. Nós temos vacinas. O governo federal se preparou para isso”, afirmou o ministro Marcelo Queiroga, na manhã desta quinta (2/6), durante evento do programa Telessaúde, que promove o acesso dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) ao teleatendimento.

Queiroga comentou que o crescimento de casos de Covid-19 neste período era esperado, que ocorreu no mundo inteiro por conta das medidas de flexibilização e que não deve ser um tabu falar de vacinas.

“A efetividade cai com o tempo e o reforço é uma estratégia”, afirmou. Sobre o uso de máscaras, o ministro da Saúde disse que esse é um direito individual e que ninguém está proibido de usá-las. Descartou, entretanto, o estabelecimento de uma norma de obrigatoriedade.

De acordo com a equipe ministerial, a nota técnica que recomenda a vacinação a partir dos 50 anos está sendo preparada.

Nessa quarta (1º/6), o governador do DF Ibaneis Rocha (MDB) anunciou que a população da capital federal com mais de 50 anos pode começar a tomar a 4ª dose a partir desta sexta (3/6). Segundo o chefe do executivo, os postos de saúde que aplicarão o reforço devem ser indicados em breve.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
0

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias