Covid-19: União Química quer autorização para testar vacina russa no Brasil

Laboratório brasileiro parceiro do Fundo Russo de Investimento iniciou processo para começar ensaios clínicos no país

atualizado 29/10/2020 19:39

vacinasKarl Tapales/Getty Images

A farmacêutica União Química entrou com um pedido preliminar na tarde desta quinta-feira (29/10) para testar a vacina russa contra Covid-19 no Brasil.

A documentação sobre a Sputnik V entregue pela farmacêutica ainda não é um pedido formal de anuência para pesquisa clínica, mas consiste em um primeiro passo para que os ensaios clínicos do imunizante sejam feitos em voluntários brasileiros.

A União Química é parceira do Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF) e pretende fabricar a vacina no DF e exportá-la para toda América Latina.

A Anvisa confirmou o recebimento da documentação e, caso, os ensaios sejam aprovados, esta será a 5ª vacina contra Covid-19 em testes no país.

Além da vacina de Oxford/AstraZeneca, da Coronavac/Instituto Butantan também há ensaios clínicos aprovados pela agência para as candidatas a vacina da Pfizer e da Johnson & Johnson.

De acordo com a Anvisa, a documentação que permitirá a avaliação sobre a autorização de pesquisa clínica chama-se Dossiê de Desenvolvimento Clínico de Medicamento (DDCM) e ainda não foi apresentada pela farmacêutica.

A União Química pretende realizar uma nova reunião técnica antes de entregar este dossiê.

0

Últimas notícias