Covid-19: Pfizer dá início à pesquisa da vacina em gestantes no Brasil

Cerca de 200 mulheres entre a 24ª e 34ª semana de gestação participarão do estudo, e os bebês serão monitorados por seis meses

atualizado 25/05/2021 18:28

Vacinação contra Covid-19 em pessoas com comorbidades e gestantes no estacionamento 13 do Parque da CidadeGustavo Alcântara/Especial Metrópoles

A Pfizer deu início, nesta terça-feira (25/5), à pesquisa clínica com gestantes para avaliar os efeitos da vacina contra a Covid-19 da empresa. Participarão 200 mulheres saudáveis, com mais de 18 anos, e que estejam entre a 24ª e 34ª semana de gestação.

O estudo faz parte de um levantamento mundial com 4 mil grávidas. O objetivo é avaliar se as duas doses da vacina são seguras, eficazes e toleráveis neste grupo. Também será observada a segurança nos bebês, assim como a transferência de anticorpos protetores da mãe para o filho — as crianças serão monitoradas por seis meses após o nascimento.

“Trata-se de mais uma etapa importante no combate à Covid-19. As mulheres grávidas têm um risco aumentado de complicações e de desenvolver a forma grave da doença. É muito importante reunirmos evidências sobre segurança e eficácia da vacina para este grupo, pensando no binômio mamãe e bebê”, afirma a diretora médica da Pfizer, Márjori Dulcine.

No Brasil, o estudo será feito pelo Centro Multidisciplinar de Estudos Clínicos (São Bernardo do Campo/SP), CMPC Pesquisa Clínica (Sorocaba/SP), Hospital de Clínicas de Porto Alegre (RS) e Faculdade de medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Saiba como as vacinas contra Covid-19 atuam:

0

Mais lidas
Últimas notícias