Rio volta a vacinar gestantes e puérperas só com Coronavac e Pfizer

Restrição foi determinada pelo Ministério da Saúde após morte de uma gestante de 35 anos que tomou uma dose da AstraZeneca

atualizado 12/05/2021 7:46

Vacina Grávida desenvolve trombose após tomar vacina AstraZenecaRafaela Felicciano/Metrópoles

A Prefeitura do Rio retoma nesta quarta-feira (12/5) a vacinação contra a Covid-19 de grávidas e puérperas com comorbidades (doenças pré-existentes).

A imunização desse grupo havia sido suspensa após a morte de uma gestante de 35 anos em decorrência de um acidente vascular cerebral hemorrágico (AVC). O Ministério da Saúde investiga a relação entre o óbito e o uso da vacina AstraZeneca/Fiocruz.

A suspensão imediata do uso da vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca em mulheres gestantes foi recomendada, nessa segunda-feira (10/5), pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo a agência, a prescrição atual do fabricante não recomenda o uso desta vacina em grávidas sem orientação médica.

Na noite de terça-feira, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, informou a decisão da pasta de restringir a vacinação às grávidas com comorbidades. Em nova orientação, a pasta recomendou que o grupo receba apenas as vacinas Coronavac e Pfizer.

Além do Rio, Belo Horizonte também vai retomar a imunização de grávidas e puérperas com comorbidades nesta quarta. Já no Distrito Federal, a Secretaria de Saúde suspendeu a aplicação da vacina contra a Covid-19 em gestantes, ainda que com Coronavac ou Pfizer.

Para receber os imunizantes recomendados para grávidas ou puérperas com comorbidade, é necessário apresentar laudo médico detalhado justificando a recomendação e avaliação da relação risco-benefício para a vacinação, além da assinatura do termo de esclarecimento disponível em coronavirus.rio/vacina.

Veja a nota da Secretaria Municipal de Saúde do Rio:

“A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro informa que retomará nesta quarta-feira, 12 de maio, a vacinação contra a covid-19 de gestantes e puérperas com comorbidade. Por orientação do Ministério da Saúde, serão aplicadas apenas as vacinas Pfizer e Coronavac, de acordo com a disponibilidade. Para receber a aplicação, é necessário apresentar laudo médico detalhado justificando a recomendação e avaliação da relação risco-benefício para a vacinação, além da assinatura do termo de esclarecimento disponível em coronavirus.rio/vacina”.

Mais lidas
Últimas notícias