Covid-19 persistente pode afastar pacientes do trabalho por seis meses

Estudo mostra que algumas pessoas continuam sentindo sintomas fortes durante todo o período

atualizado 07/01/2021 14:30

pessoas covid coronavírus máscaraADA YOKOTA/GETTY IMAGES

Apesar de a maioria dos pacientes com Covid-19 experimentar sintomas leves e que passam em cerca de duas semanas, a quantidade de relatos de pessoas que passam meses lidando com os efeitos da doença tem aumentado. E, de acordo com um novo estudo, a Covid-19 persistente pode afastar pessoas do trabalho por até seis meses.

Pesquisadores do grupo Patient-Led Research for Covid-19, da Inglaterra, levantaram dados de 3.700 pessoas com Covid-19 persistente. Dessas, 45% disse ter diminuído o volume de trabalho por conta dos sintomas — entre os sinais mais relatados estão fadiga, confusão mental e um estado geral de mal estar.

Outros 22,3% afirmaram não estar trabalhando por conta da condição de saúde – porém, os pesquisadores não explicam se é por conta da Covid-19 ou outro problema de saúde presente antes da infecção. Por fim, 8% disseram ter sintomas tão fortes que precisaram ser internados.

“Pacientes com Covid-19 persistente relatam envolvimento de vários sistemas do corpo e deficiência significante. A maioria deles não voltou ao nível normal de trabalho seis meses depois da infecção”, escrevem os cientistas. O trabalho está disponibilizado na versão pré-print no site medRxiv e ainda não foi revisado pela comunidade científica.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
0

Mais lidas
Últimas notícias