Covid-19: crianças podem ter vírus e anticorpos ao mesmo tempo, diz estudo

Pesquisa realizada em Washington, nos EUA, acende alerta sobre uso de testes sorológicos como "passe" para crianças saírem de isolamento

atualizado 03/09/2020 15:13

Criança mascara coronavirus covidVladimir SmirnovTASS via Getty Images

A detecção de anticorpos neutralizantes contra o novo coronavírus é usualmente associada à recuperação do paciente. No entanto, um novo estudo publicado nesta quinta-feira (3/9), no Journal of Pediatrics, sugere que crianças continuam a carregar o vírus ativo mesmo após a produção dos agentes de defesa.

“Com a maioria dos vírus, quando você começa a detectar anticorpos, não detecta mais o vírus. Mas com a Covid-19, estamos vendo os dois”, disse Burak Bahar, uma das autoras do estudo e diretora de Informática de Laboratório no Children’s National Hospital. “Isso significa que as crianças ainda têm potencial para transmitir o vírus, mesmo que os anticorpos sejam detectados”, completou.

Os pesquisadores do Children’s National Hospital, em Washington, nos Estados Unidos, analisaram dados de 6.369 crianças testadas para a Covid-19 e 215 pacientes submetidos a testes de anticorpos no hospital entre 13 de março e 21 de junho.

Eles descobriram que o tempo médio de vida do vírus foi de 25 dias, enquanto o tempo médio para atingir níveis seguros de anticorpos neutralizantes foi de pouco mais de um mês (36 dias). Pacientes de 6 a 15 anos demoraram em média 32 dias para eliminar o vírus, enquanto os de 16 a 22 anos permanecem com o vírus por, aproximadamente, 18 dias.

Os pesquisadores estudam agora se o vírus encontrado teria potencial para ser transmitido para outras pessoas e por quanto tempo os anticorpos são capazes de proteger contra uma nova infecção.

“A conclusão aqui é que não podemos baixar a guarda só porque uma criança tem anticorpos ou não apresenta mais sintomas“, garantiu Burak.

0

 

 

Últimas notícias