Coronavírus: coágulos sanguíneos agravam quadros da doença; diz pesquisa

Estudo feito pela Universidade de Edimburgo, na Escócia, aponta que a insuficiência respiratória pode ser motivada por processos trombóticos

atualizado 30/04/2020 17:53

Médicos que estão na linha de frente no tratamento da Covid-19 estão observando que, além das complicações respiratórias, alguns pacientes apresentam a formação de coágulos sanguíneos que podem levar a casos de trombose e embolia pulmonar, por exemplo.

A revista Radiology publicou na quinta-feira passada (23/04) um relatório no qual destaca a importância do diagnóstico correto para evitar complicações durante o tratamento dos pacientes.

De acordo com a publicação, a insuficiência respiratória causada pela doença pode ser motivada também por processos trombóticos microvasculares. Existe uma relação entre os níveis do dímero D e a progressão da doença, sugerindo trombose venosa. A descoberta é importante para que os médicos estejam preparados para administrar os quadros que chegam aos hospitais.

“De todos os dados médicos, laboratoriais e de imagem atuais disponíveis da Covid-19, ficou claro que os sintomas e testes de diagnóstico não podiam ser explicados apenas pela ventilação pulmonar prejudicada”, disse o médico Edwin JR van Beek, diretor da Edinburgh Imaging, da Universidade de Edimburgo.

Segundo o professor da Universidade de Edimburgo, imagens e investigações patológicas confirmaram que a síndrome de Covid-19 é um processo trombo inflamatório que afeta, inicialmente, a perfusão pulmonar, mas afeta, consecutivamente, todos os órgãos do corpo.

“Essa síndrome altamente trombótica leva à macrotrombose e embolia. Portanto é indicada profilaxia rigorosa da trombose e monitoramento de imagem apropriado com terapia anticoagulante precoce, em caso de suspeita de tromboembolismo venoso”, completou.

Últimas notícias