Trombose venosa profunda (TVP): conheça a síndrome da classe econômica

Também conhecida como Síndrome do Viajante, provoca formação de coágulos nas veias das pernas e ocorre por falta de movimentação

jossdim/iStockjossdim/iStock

atualizado 27/01/2019 12:14

A trombose venosa profunda (TVP) é uma situação grave caracterizada pela formação de coágulos sanguíneos nas veias profundas das pernas, que podem dificultar ou bloquear a passagem de sangue. Conhecida popularmente por Síndrome da Classe Econômica, ou Síndrome do Viajante, a doença ocorre por vários motivos, entre eles a falta de movimento por muitas horas e o ângulo da perna quando se está sentado — clássicos em longas viagens de avião, carro ou ônibus, sem muito espaço para se mover.

Nesses casos, a circulação sanguínea fica mais lenta, a pressão venosa aumenta e a possibilidade da criação de coágulos também sobe. O trombo pode ainda fluir pelo sangue e atingir outros órgãos importantes, como o pulmão ou o coração, causando graves consequências. A TVP é mais comum em idosos e em pessoas com problemas de circulação sanguínea.

Na maioria das vezes, os sintomas incluem inchaço das pernas, vermelhidão e dor intensa, que piora com o tempo. Por isso, fique atento aos sinais e, se houver suspeita de trombose, procure um hospital para fazer exames e confirmar o diagnóstico, iniciando o tratamento adequado logo.

Como é feito o tratamento
Além de prescrever medicamentos anticoagulantes, o cardiologista ou o cirurgião vascular podem recomendar que o paciente seja internado para se tratar. Se uma mulher que toma anticoncepcional estiver com suspeita de TVP, deve suspender a ingestão do remédio, porque ele aumenta o risco de trombose.

Há opções de medicações orais ou injeções subcutâneas. O tempo de tratamento a base de fármacos é de, no mínimo, três meses, sendo recomendado também o uso de meias compressivas, de 30 a 40 mmHg. Os acessórios devem ser usados durante o dia e à noite, por um período de aproximadamente dois a três anos. Outra alternativa que pode ser proposta pelo médico é a colocação, por meio de cirurgia, de um stent metálico dentro da veia, que garante a passagem sanguínea.

Fisioterapia para Trombose Venosa Profunda
A fisioterapia é indicada quando o paciente encontra-se internado por conta de trombose na perna. Após 24 horas do início do uso dos anticoagulantes, pode-se andar pelo quarto durante alguns minutos e realizar exercícios usando a meia elástica.

Deitar na cama com as pernas elevadas é uma boa forma de diminuir o inchaço das pernas e melhorar o retorno venoso.

Possíveis complicações
Quando a trombose venosa profunda não é tratada adequadamente há risco de embolia pulmonar, uma das principais complicações. Os sinais e os sintomas que podem indicar esse quadro são: falta de ar, respiração acelerada, dor no tórax que piora ao respirar, tosse sem causa aparente e com sangue.

Como evitar a trombose na perna
Hábitos de vida saudáveis como manter a pressão e o colesterol controlados podem ajudar a evitar o desenvolvimento da trombose, mas algumas outras estratégias também são bem-vindas:

  • Adotar outro método contraceptivo que não seja a pílula anticoncepcional;
  • O médico pode indicar o uso de remédios anticoagulantes para pessoas acamadas;
  • Em viagens de avião: ingerir líquidos, alongar os músculos da perna a cada 2 horas, se levantar para uma breve caminhada dentro do avião e movimentar os pés sempre que possível, evitar café e bebidas alcoólicas. Nas viagens com mais de seis horas de voo, idosos devem sempre usar meias de compressão elástica.

Com informações do portal Tua Saúde.

Últimas notícias