Coronavírus: 355 pessoas desembarcam de cruzeiro em quarentena

Quando teve início a quarentena, o Diamond Princess tinha mais de 3.700 pessoas a bordo, entre passageiros e tripulação

Carl Court/Getty Images

atualizado 16/02/2020 12:09

Ao menos 70 pessoas a bordo de um cruzeiro no Japão já foram diagnosticadas, neste domingo (16/02/2020), com o coronavírus. O navio teve, no total, 355 casos de infecção, segundo o ministro da Saúde japonês, Katsunobu Kato. Quem recebeu o resultado positivo quanto à infecção, informou o governo local, será transferido para hospitais em solo.

O Diamond Princess estava de quarentena há quase duas semanas e tinha mais de 3.700 pessoas a bordo, entre passageiros de diversas nacionalidades e tripulação. Inicialmente, o Japão resistiu em testar todas as pessoas que estavam no navio. Entretanto, no sábado (15/02/2020), as autoridades japonesas decidiram que todos passariam por testes antes de desembarcar.

Os passageiros que estão em observação ficam grande parte do tempo trancados nos quartos. Eles só têm autorização para sair por uma hora durante o dia para caminharem e ver a luz do sol. Alguns países como os Estados Unidos, Hong Kong e Coreia do Sul se comprometeram a enviar aviões ao Japão para trazer os cidadãos em quarentena.

Há ao menos 380 passageiros norte-americanos no navio. Os que apresentaram teste positivo ou sintomas da doença não receberam permissão para deixar o país e alguns devem permanecer em hospitais da capital japonesa. O governo do Japão diz ter 150 membros de sua força militar a bordo ajudando na liberação de passageiros, entre outras questões.

Já os cidadãos dos EUA que receberam autorização para deixar o Japão entrarão em voos fretados pelo governo do presidente Donald Trump após negociações e forte pressão política de Washington. Eles aterrissarão primeiro na base da Força Aérea em Travis, perto de Sacramento, Califórnia, segundo fontes oficiais.

Em solo norte-americano, eles ainda devem cumprir um período adicional de 14 dias de isolamento.

No sábado, o Canadá disse que também irá enviar um avião fretado para repatriar seus cidadãos, seguindo protocolo similar ao dos EUA para exames e posterior quarentena. Em comunicado oficial, as autoridades canadenses afirmam que a decisão foi tomada “diante das circunstâncias extraordinárias enfrentadas pelos passageiros” e para “aliviar a carga sobre o sistema de saúde japonês”.

Com informações da Agência Estado

Últimas notícias