metropoles.com

BQ.1: saiba quais são os sintomas da nova subvariante do coronavírus

A BQ.1 é a subvariante do coronavírus que pode causar uma nova onda de casos nas próximas semanas. Conheça os sintomas

atualizado

Compartilhar notícia

Niad-National Institute Of Allergy and Infection
Imagem de microscópio da subvariante Ômicron BQ.1, do coronavírus - Metrópoles
1 de 1 Imagem de microscópio da subvariante Ômicron BQ.1, do coronavírus - Metrópoles - Foto: Niad-National Institute Of Allergy and Infection

Com o aumento de casos relacionados à nova subvariante do coronavírus, a BQ.1, especialistas em saúde acreditam que o Brasil pode enfrentar uma nova onda nas próximas semanas e ter ainda mais resultados positivos em dezembro.

Apesar de a vacinação conferir aumento da imunidade, é importante estar atento aos sintomas que a nova cepa pode causar.

De acordo com o infectologista André Bon, do Hospital Brasília, da rede Dasa, a preocupação e as precauções devem ser as mesmas das variantes anteriores. “Os sintomas são exatamente iguais aos das outras cepas. Em nenhuma delas houve mudança, então a sintomatologia é exatamente igual”, aponta.

Ele relembra quais são os principais sintomas causados pela variante Ômicron:

  • Dificuldade respiratória
  • Febre
  • Dor de cabeça
  • Dores no corpo
  • Dores musculares
  • Garganta inflamada
  • Tosse
  • Coriza
  • Obstrução nasal

No Reino Unido, dados do aplicativo Zoe Covid Study, que monitora os sintomas mais comuns da infecção nas últimas semanas, mostra que os sinais mais frequentes em pessoas vacinadas são dor de garganta, coriza, nariz entupido, tosse persistente e dor de cabeça. Ainda não há confirmação sobre qual cepa está causando a alta de casos no país, mas os especialistas britânicos acreditam que a BQ.1 seja a responsável.

0

Vacinados têm sintomas leves

O infectologista ressalta a importância da vacinação, e afirma que pacientes já imunizados, geralmente, apresentam quadros mais leves.

“A grande diferença da nova subvariante é que pode haver algum grau de escape da imunização prévia. Isso significa que mesmo pessoas vacinadas ou que contraíram uma cepa anterior à Ômicron podem ter sintomas mais acentuados”, diz Bon.

Importância da testagem

Especialistas de saúde recomendam que na primeira suspeita de infecção pelo vírus, ou quando houve contato com alguém contaminado, o indivíduo faça um teste e permaneça isolado para evitar a propagação da doença. A testagem é uma ferramenta importante para rastrear de forma mais rápida o desenvolvimento e o aumento de casos.

A nova sublinhagem é resultante de mutações da cepa BA.5. Apesar de ela se alastrar rapidamente, infectologistas garantem que não há motivo para pânico. O mais importante agora é continuar com as medidas já adotadas para a prevenção e reforçar a vacinação contra o vírus.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comSaúde

Você quer ficar por dentro das notícias de saúde mais importantes e receber notificações em tempo real?