Ucrânia acusa Rússia de esconder até 9 mil corpos em vala comum

O caso foi revelado por imagens de satélite da empresa de tecnologia espacial Maxar na região de Mariupol

atualizado 22/04/2022 16:55

Imagem de satélite mostra destruição em área residencial com muita fumaça após ataque aéreo da Rússia em Mariupol, Ucrânia - Metrópoles Satellite image (c) 2022 Maxar Technologies

A Ucrânia acusa a Rússia de esconder evidências de supostos crimes de guerra. Segundo autoridades locais, em Mariupol, cidade portuária que foi tomada pelos russos, há uma vala comum que pode conter até 9 mil corpos de civis.

Nesta sexta-feira (22/4), o governo ucraniano classificou a situação como “bárbara”. O caso foi revelado por imagens de satélite da empresa de tecnologia espacial Maxar.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
0

O prefeito de Mariupol, Vadym Boichenko, demonstrou horror ao comentar o caso. Segundo ele, o local continua sendo usado para desovar corpos de civis.

“As sepulturas foram desenterradas, e os cadáveres ainda estão sendo despejados lá”, detalhou.

A cidade ficou sitiada  mais de 40 dias e sob fortes bombardeios. Segundo a prefeitura, 90% dos prédios foram danificados, e 40%, destruídos, incluindo hospitais, escolas, creches e fábricas. As tropas russas afirmam que tomaram o poder da cidade.

Sob ataques constantes e em colapso, a cidade foi o último grande centro ucraniano a resistir na faixa entre a Crimeia e o território russo.

A Rússia e a Ucrânia vivem um embate por causa da possível adesão ucraniana à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), entidade militar liderada pelos Estados Unidos.

Na prática, Moscou vê essa possibilidade como uma ameaça à sua segurança. Sob essa alegação, invadiu o país liderado por Zelensky, em 24 de fevereiro. Nesta sexta-feira (22/4), a guerra completa 58 dias.

A tensão no Leste Europeu voltou a subir após ao menos três ataques ucranianos contra o território russo. O país liderado por Putin, que havia prometido trégua a Kiev, voltou a bombardear a capital.

A escalada da violência também é influenciada pelo naufrágio do navio militar Moskva, maior embarcação de guerra russa no Mar Morto. A Ucrânia reivindicou o ataque.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias