“Trump assistiu à invasão ao Capitólio e não fez nada”, diz Biden

Presidente americano, em pronunciamento que marca um ano do ataque à sede do Poder Legislativo, condenou investida contra a democracia

atualizado 06/01/2022 12:28

President Biden Speaks At U.S. Capitol On Anniversary Of January 6 AttackWASHINGTON, DC - JANUARY 06: U.S. President Joe Biden delivers remarks on the one year anniversary of the January 6 attack on the U.S. Capitol, during a ceremony in Statuary Hall at the U.S. Capitol on January 06, 2022 in Washington, DC. One year ago, supporters of President Donald Trump attacked the U.S. Capitol Building in an attempt to disrupt a congressional vote to confirm the electoral college win for Joe Biden. (Photo by Drew Angerer/Getty Images)

Exatamente um ano após o ataque ao Capitólio, sede do Legislativo americano, na capital Washington, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, condenou a investida contra a democracia e alertou para efeitos negativos do cerceamento das liberdades individuais.

“Um ano atrás, neste lugar sagrado, a democracia foi atacada. Simplesmente atacada. O desejo do povo esteve ameaçado e a Constituição americana enfrentou a maior de suas ameaças”, iniciou. As declarações foram dadas em pronunciamento transmitido, ao vivo, de Washington.

A invasão do Capitólio, ocorrida há um ano, interrompeu sessão conjunta do Congresso que confirmaria a vitória de Biden nas eleições presidenciais de 2020. Apoiadores do então presidente Donald Trump tomaram o local com violência.

“O presidente perdeu a eleição e tentou evitar a transição pacífica com uma invasão ao Capitólio. Eles falharam. O povo prevaleceu. Não podemos permitir um novo ataque desse”, ponderou. O líder americano completou: “Precisamos assegurar que ataques como esse nunca mais aconteçam”, salientou.

Biden disse que Trump assistiu por horas ao ataque e não fez nada. “Foi um insurreição armada. Queriam negar o desejo do povo. Simplesmente eliminar o resultado de uma eleição”, concluiu. À época, congressistas foram ameaçados de morte.

O presidente condenou a postura de Trump que, segundo ele, criou uma versão da eleição, contestou resultados e espalhou mentiras.

“Há zero provas de que os resultados foram incorretos. Ele não é só um ex-presidente. Ele é um ex-presidente derrotado”, ironizou.

“Futuro”

Antes de Biden, a vice-presidente, Kamala Harris, discursou e reforçou a preocupação com o futuro da democracia. “Não podemos deixar que nosso futuro seja decidido por aqueles que tentam silenciar as nossas vozes e espalham mentiras”, criticou.

Ela frisou. “O 6 de janeiro reflete a natureza dupla da democracia: a sua fragilidade e a sua força. A força da democracia é o princípio de que todos devem ser tratados iguais”, comentou.

A Justiça americana indiciou 725 pessoas em quase todos os 50 estados do país, sendo que ao menos 225 indivíduos foram condenados por agressão ou impedimento da aplicação da lei e 165 se confessaram culpados de crimes federais.

Mais lidas
Últimas notícias