Promotor fala em “provas concretas” de que Madeleine McCann foi morta

Christian Brueckner foi apontado como principal suspeito do crime. Investigadores acreditam que resolução do caso está próxima

atualizado 18/05/2021 22:03

Madeleine MccannReprodução/Arquivo Pessoal

O caso da menina britânica que desapareceu no Algarve, em 2007, aos 3 anos, está, ao que parece, próximo do fim. Investigadores da Alemanha estão convencidos de que Madeleine McCann foi assassinada em Portugal, mesmo que o corpo nunca tenha sido encontrado. A informação foi dada pelo promotor responsável pelo caso, Hans Christian Wolters, ao jornal The Mirror.

Desde junho do ano passado, quando Christian Brueckner foi apontado como principal suspeito do crime, a polícia apurava se a menina poderia ter sido levada para o território alemão, onde nasceu o suposto assassino.

Wolters afirmou que existem “provas concretas” de que Madeleine foi morta no país onde desapareceu, mas não deu detalhes de quais seriam as provas. “Ela morreu em Portugal. Creio que vamos solucionar este caso”, disse.

Em 2020, autoridades fizeram várias buscas em um terreno que Christian Brueckner alugou, em Hanover, na Alemanha. O objetivo era buscar material eletrônico e outras provas que o ligassem ao desaparecimento e a morte da criança. “Como ele não tinha este terreno alugado na época em que Madeleine desapareceu, não havia suspeita de que o corpo estaria enterrado naquele local”, explicou Wolters.

O advogado de Brueckner, Friedrich Fulscher, insiste que o cliente não tem relação com o caso Madeleine. Criminoso sexual com várias condenações, inclusive por abuso sexual de crianças, ele viveu no Algarve entre 1995 e 2007 e roubou hotéis e apartamentos de veraneio, além de comercializar drogas, segundo a polícia alemã.

Últimas notícias