Promotor diz ter “peça que faltava” do caso Madeleine McCann

Promotor que lidera o caso, Hans Christian Wolters disse estar otimista com os avanços e o surgimento de uma nova testemunha

atualizado 13/05/2021 12:17

Madeleine MccannReprodução/Arquivo Pessoal

Os investigadores do caso Madeleine McCann afirmam ter encontrado “a peça que faltava no quebra-cabeça” para reforçar as acusações contra o alemão Christian Brueckner, de 44 anos, considerado o principal suspeito de ter raptado e matado a menina britânica.

As provas devem vir a público antes do final do ano e prometem encerrar o caso aberto em 2007.

Promotor que lidera o caso, Hans Christian Wolters disse ao jornal The Sun estar otimista com os avanços: “Reunimos novas evidências que aumentam o caso construído contra nosso principal suspeito”.

0

“Não posso divulgar o tipo de evidência que recebemos, não é forense, posso dizer isso, mas é uma nova evidência circunstancial que acrescenta à teoria de trabalho de que ele é o homem responsável”, declarou.

Segundo ele, as novas provas serão suficientes para reconstruir o desaparecimento de Madeleine, com a presença de uma nova testemunha. O evento será projetado e investigado por oficiais alemães, portugueses e britânicos em conjunto.

Brueckner atualmente cumpre pena por estupro na Alemanha e tem antecedentes de pedofilia em sua ficha criminal. Na época do desaparecimento, ele vivia na região do Algarve, onde Madeleine estava de férias com a família.

Nessa quarta (12), Madeleine teria completado 18 anos. Os pais, Kate e Gerry McCann, afirmam ainda ter esperanças de que a filha esteja viva.

Últimas notícias