Forças de segurança do Irã reprimem protestos a bala, diz TV

Várias pessoas foram presas no segundo dia de protestos contra o governo. Número de detidos não foi informado

atualizado 12/01/2020 20:23

VAHID SALEMI/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Forças de segurança do Irã agiram neste domingo (12/01/2020) para reprimir as manifestações contra o governo que tomaram, pelo segundo dia consecutivo, as ruas de várias cidades do país persa.

Os protestos se intensificaram após a derrubada, por engano, do avião da Ukraine International, em reação ao ataque feito pelos Estados Unidos que vitimou o número dois do país, o general Qassim Suleimani.

De acordo com a emissora saudita Al Arabyia, a polícia iraniana teria reprimido as manifestações a tiros. Segundo a emissora, inicialmente a repressão ocorreu com balas de borracha e gás lacrimogênio. No entanto, de acordo com a TV, houve disparos de arma de fogo contra manifestantes em Shadman, bairro de Teerã.

 

Várias pessoas que participavam dos protestos foram presas, mas o número não foi informado.

Além da capital, também houve manifestações nas cidades de Amal e Semnan, localizadas no norte do país.

Os novos protestos no Irã começaram no sábado (11/01/2020), na Universidade Amir Kabir após uma homenagem aos 176 mortos na derrubada do avião ucraniano. A maioria dos passageiros
eram iranianos, muitos deles estudantes. Em novembro houve uma série de protestos no país. De acordo com a Anistia Internacional, 300 pessoas foram mortas.

Últimas notícias