Com novo governo, Uruguai terá política para atrair estrangeiros

Dentre as 457 medidas que o novo presidente enviará ao Parlamento, haverá mudanças para flexibilizar as regras atuais de residência

atualizado 29/02/2020 11:07

Enviada especial a Montevidéu – Aumentar a população uruguaia e atrair investidores ao país. Essa é uma das saídas do novo presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, que toma posse neste domingo (01/03/2020), para tentar alavancar o crescimento econômico.

As mudanças nas regras atuais de residência devem constar em um pacote com mais de 450 medidas que Lacalle Pou enviará ao Congresso logo após assumir o cargo.

Trata-se de um projeto de lei de urgência, previsto na Constituição do Uruguai, que conterá propostas para atrair moradores do exterior para o país com uma das menores populações da América do Sul. As mudanças devem ser tanto de facilitação burocrática como fiscal.

Atualmente, para se obter residência no país, o Uruguai exige que o estrangeiro invista cerca de US$ 1,8 milhão em algum negócio ou em propriedades, aporte considerado muito alto pelo governo que assumirá.

Além disso, o imigrante não pode sair do país por, no mínimo, seis meses. Lacalle Pou quer acabar com esse prazo e ainda reduzir a exigência fiscal.

O Uruguai tem uma população estimada em cerca de 3,5 milhões de habitantes, número que permanece o mesmo há, praticamente, 30 anos.

Durante os 15 anos em que a esquerda governou, a economia cresceu entre 3% e 4%, no entanto, no último ano de Tabaré Vázquez, esse patamar não se verificou: houve aumento de 0,6% do Produto Interno Bruto (PIB). Com essas mudanças, o novo governo espera atrair 100 mil investidores.

Últimas notícias