17 de novembro de 1970: inventado o único rato que todo mundo precisa

Foi a curiosidade de Douglas Engelbart que o levou cada vez mais próximo dos computadores após a segunda guerra. Mas faltava comunicação

atualizado 17/11/2020 6:54

Primeiro mouseSite How stuff works

A facilidade com a qual lidamos com os computadores não pode fazer esquecer que estes companheiros de vida moderna têm uma linguagem bem peculiar e particular. Os idosos e os alheios à tecnologia que o digam: como fazer para se comunicar com estas engenhocas?

A tela tátil dos celulares e dos tablets revolucionou a interação do homem com o processador. E as crianças e adolescentes hoje estranham os computadores de mesa, com seus monitores insensíveis ao deslizar dos dedos. Imagina então como era há exatos 50 anos, antes do invento… do rato!

Douglas Engelbart destinava-se, sem muita vontade, à carreira militar. Mas depois de topar com os primeiros computadores logo após a segunda guerra mundial, interessou-se cada vez mais pela novidade, e sobretudo pela interação possível entre o homem e a máquina.

Foi o inventor patenteado de mais de 20 instrumentos que facilitam a comunicação entre nós e as engenhocas que só funcionam no modo binário. Quer saber mais sobre a vida dele? Os Cabeças da Notícia da Radio Metrópoles te contam nesta terça-feira (17/11), entre 07H00 e 09H00 no 104.1 FM em Brasília e região, e no mundo inteiro pelo aplicativo.

Últimas notícias