*

Ingrediente versátil, a geleia faz parte da mesa do café da manhã, das sobremesas do almoço e do pãozinho no lanche da tarde. Combina com queijo, frutas e, a depender da harmonização, até mesmo com uma boa taça de vinho. Brasilienses descobriram uma forma de complementar a renda e vender doces de qualidade superior: feitos artesanalmente, valorizando o sabor dos insumos.

Assim como as doceiras tradicionais das cidades do interior do Brasil, produtores caseiros das delícias estão fazendo sucesso no DF. Gengibre, pimenta, pequi, goiaba e jabuticaba ganham doses de açúcar e se transformam em um pasta que tem ajudado a criar negócios na capital, como no caso da Mermeleia, loja especializada na mistura entre geleia e marmelada.

De acordo com Thiago Henrique, um dos sócios do estabelecimento, a cultura da geleia – mais desenvolvida em países da Europa – começa a ganhar muita força no Brasil e, consequentemente, na capital. Depois de quatro anos de produção caseira, a Mermeleia é vendida em mais de 50 lojas por todo o país.

Nosso objetivo é educar o consumidor e desmistificar a geleia somente na torradinha"
Thiago Henrique

O empresário aponta o crescimento do interesse por produtos artesanais – feitos com menos ingredientes químicos, uso de elementos naturais e valorização dos produtos locais. Apesar desse viés de alta gastronomia, Thiago ressalta as dificuldades dos pequenos produtores – atualmente, a marca vende 1,5 mil potes por mês, ao preço de R$ 25 (250g).

Cristiane Souza, 33 anos, também decidiu apostar em uma marca: a D’gusta Geleias Artesanais. Há um ano e meio no mercado, a ideia surgiu após a brasiliense quebrar a cabeça para elaborar o cardápio para suas visitas. Ela optou pela receita de dadinho de tapioca com geleia de pimenta. Deu tão certo que a cozinheira enxergou ali uma oportunidade de negócio.

 

“Há algum tempo eu vinha querendo trabalhar com alguma coisa relacionada à alimentação, só ainda não sabia o que. No dia seguinte da recepção, veio o insight“, relembra.

Cristiane vende as geleias em dois pontos da cidade, no Spa das Sobrancelhas de Taguatinga e na Imagine Só de Águas Claras, além das feiras de produtos artesanais. Os sabores são morango com vinho cabernet sauvignon; manga e maracujá; maçã com canela; abacaxi e pimenta; coco; tamarindo; jabuticaba; pimenta dedo-de-moça; e pera com tâmaras. A produção semanal é de 80 potes, podendo variar de acordo com as encomendas. O diferencial aqui é a quantidade de açúcar.

Minha geleia tem 50% menos açúcar em comparação às convencionais de mercado. O açúcar é o único conservante natural utilizado"
Cristiane Souza

Os potes, todos de 240 ml, custam de R$ 23 a R$ 25, a depender do sabor. Antes de entrar no negócio, Cristiane não conhecia bem o mercado de produtos artesanais na capital, mas está satisfeita com o desempenho da marca. “Quando estou na cozinha, todo o amor que tem dentro de mim se externa. Vejo esse resultado na aprovação dos clientes”, comenta.

De cria a criadora
Aprendiz da D’gusta, Cristiane Rodrigues, 33, recebeu uma oficina da sua xará e deu início à Cris Geleias e Compotas. Há três meses no empreendimento, ela se mostra confiante no desafio de comercializar geleias. “Eu comecei a procurar outra renda, além da que tenho como babá, depois do meu marido ficar desempregado”, conta.

A cozinheira mora em Samambaia e entrega as delícias em todos os pontos da cidade. O desafio de se jogar na cozinha não a assustou: “Meu pai era chef, sempre gostei de me aventurar nessa área”, brinca.

O amor pelos doces foi despertado após seu chefe pedir um molho especial para servir um peixe. Cris fez uma cobertura de manga com maracujá. O resultado foi elogiado pelo patrão, que sugeriu transformar o acompanhamento em prato principal: assim surgiu a geleia. “Foi um tiro no escuro e deu certo”, vibra.

Cris Rodrigues aposta nos sabores de abacaxi com coco ou com pimenta; uva; morango com cravo; maracujá; laranja com gengibre; goiaba; jabuticaba; e maçã com canela. Todas custam R$ 16, exceto a de morango, com preço de R$ 20.

 

Complemento à renda
A brasiliense Terezinha Maria de Araújo, 61, da Delícias da Primavera, tem experiência de 20 anos na produção de geleias e licores. Porém, a formalização do produto veio há, apenas, 5 anos. “Cresci vendo a minha mãe fazer doces e bebidas. Quando realizei o sonho de comprar minha primeira chácara, pedi para ela me ensinar a fazer essas receitas”, lembra. De lá para cá, a quituteira foi adicionando seu toque pessoal aos preparos, apostando em combinações, como biomassa de banana ao licor; gengibre; morango; pequi; pimenta; goiaba; jabuticaba; abacaxi com pimenta; e frutas vermelhas.

Atualmente, a aposentada aumenta sua renda com a geleia. O negócio também a possibilita trabalhar de casa e ter tempo para cuidar da filha, que sofre com problemas de saúde. A produção média, em torno de 100 a 120 potes, garante renda de R$ 1,5 mil a R$ 2 mil. Em meses mais movimentados, o montante pode chegar a R$ 5 mil.

A qualidade da geleia é garantida na seleção dos ingredientes. As frutas e outros produtos são adquiridos de cultivadores ligados à agricultura familiar. As delícias custam  R$ 12 (220 ml), R$ 18 (270 ml), R$ 15 (250 ml) e R$ 25 (375 ml). A opção de 1 litro é feita apenas sob encomenda.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Degustação da Expo Mães Amigas – Vitrinni Shopping 💛 #deliciasdaprimavera #geleias #compredopequeno

Uma publicação compartilhada por Delícias da Primavera (@deliciasdaprimavera) em

Delícias da Primavera
Encomendas nos números (61) 33595286 ou (61) 98482-6134. Facebook e Instagram

D’gusta Geleias artesanais
Encomendas no número (61) 98414-1244. Facebook e Instagram

Cris Geleia e Compotas 
Encomendas: (61) 98154-6261 ou (61) 98582-3004. Instragram 

Mermeleia
Loja on-line e pontos de distribuição podem ser acessados aqui