Confeiteira vegana Renata Dias vai inaugurar loja na Asa Sul

A nova casa vai contar com todo tipo de doces e quitutes tradicionais, mas na versão sem insumos de origem animal: do bolo à coxinha

Bruno Araújo/Divulgação

atualizado 21/12/2019 15:53

Após três anos de serviço por encomenda, a confeiteira Renata Dias vai sair da fábrica da mãe, Maria Amélia, para ter seu próprio espaço. A loja, que leva o nome da dona, será inaugurada na 411 Sul no final de janeiro. No cardápio, todo tipo de guloseima, mas com um porém: tudo ali é feito sem ingredientes de origem animal.

Vegetariana desde criança, Renata tomou para si o desafio de “veganizar” receitas tradicionais que levam ingredientes como manteiga e leite – ou até mesmo carne. “Minha inspiração são os clássicos. Nós, veganos, sentimos falta de comer um bom croissant, um mil folhas, um bolo. Eu quero proporcionar isso para a galera que quer ser vegana e viver tão bem quanto qualquer outra pessoa”, garante a confeiteira.

0

Apesar da inspiração nos clássicos, Renata planeja fugir de receitas veganas facilmente encontradas por aí, como tapioca e pão de beijo. “Vai ser uma pâtisserie, ou seja, uma confeitaria com um quê de panificação natural. Vou ter vitrine de doces, de pães e de salgados assados. Os salgadinhos serão fritos na hora, de acordo com o pedido do cliente”, adianta a cozinheira. No menu ainda devem constar os famosos toasts e também os buddha bowls para o almoço: as tigelas repletas de alimentos de origem vegetal vão variar de acordo com a época do ano.

O público de Renata, apesar de majoritariamente vegano, ainda inclui intolerantes a lactose, alérgicos e a turma da dieta. “O pessoal fitness me procura achando que vai ser light, descobrem que não é e comem mesmo assim”, brinca. “O fato é que o veganismo é mais saudável mesmo. As pessoas estão se conscientizando, fazendo a segunda sem carne, tomando conhecimento do impacto que a indústria da carne está causando no mundo. Acabo atraindo quem não é da causa animal”, complementa.

Ainda assim, as críticas ao uso de açúcar e de fritura vêm. “O que é saudável para um, não é para o outro. Eu tive problemas sérios de transtorno alimentar, então saudável pra mim pode ser algo com açúcar, farinha, chocolate. O vegano não liga pra comida saudável, pode comer sanduíche e batata frita todos os dias se quiser. Veganismo não é isso, não é para quem quer ser fit”, defende.

Últimas notícias