Festival de Brasília: leia crítica do documentário Bloqueio

Longa que retrata greve dos caminhoneiros e curta sobre ocupação urbana foram exibidos na noite desta terça (18/9) na mostra competitiva

atualizado 19/09/2018 11:35

Thais Vidal/Divulgação

Filmes sobre aspectos sociais do Brasil atual movimentaram a mostra competitiva na noite desta terça (18/9), no 51º Festival de Brasília. O longa Bloqueio (PE/RJ), da dupla Quentin Delaroche e Victória Álvares, documenta a greve dos caminhoneiros a partir de depoimentos dos trabalhadores. Entre as reivindicações, muitos deles pedem intervenção militar para solucionar os problemas do país.

Já o curta Conte Isso Àqueles que Dizem que Fomos Derrotados (MG/PE), também documental, mostra diversas ações de uma ocupação urbana: do hasteamento de bandeiras do movimento social à montagem de acampamentos. A produção é assinada por quatro diretores: Aiano Bemfica, Camila Bastos, Cristiano Araújo e Pedro Maia de Brito.

Leia críticas dos filmes exibidos na noite de terça (18/9) no Festival de Brasília:

Bloqueio (PE/RJ), de Quentin Delaroche e Victória Álvares: o país da indignação
Mais do que um registro direto e urgente da recente greve dos caminhoneiros, o longa-metragem documenta de forma pulsante o estado de coisas em um Brasil fraturado onde reina a opressão das instituições aos trabalhadores e aos mais humildes.

Tanto que muitos motoristas estendem faixas nas estradas pedindo uma intervenção militar para “limpar” a política e acabar definitivamente com a corrupção. Quando falam para a câmera, não escondem um certo ar de desespero ao apoiar a presença de militares no poder. Um dos entrevistados fala nessa alternativa como único socorro possível.

Na cena talvez mais reveladora do filme, um caminhoneiro é ignorado solenemente por dois soldados quando a câmera é ligada. “Olha como eles tratam a gente”, reclama. Logo depois, interpelado sobre intervenção, diz: “Mas não quero ditadura. Não é para sempre, não”.

Thais Vidal/Divulgação

O exército visto como “milagreiro” pelos manifestantes é o mesmo que o governo federal usa para dissolver a greve e proteger a PRF na aplicação de multas a quem bloqueia estradas. Apenas mais uma de tantas contradições de um discurso poroso, contraditório, ingênuo até, não à toa facilmente associado a religiosos conservadores – há pelo menos duas cenas de evangélicos em contato com os grevistas, cantando e fazendo orações.

Apesar de ter consumido pouquíssimo tempo de produção e finalização – vale lembrar que a paralisação aconteceu em maio –, Bloqueio pode ficar na contemporaneidade brasileira como um dos registros mais angustiantes e crus do país da indignação na era pós-protestos de 2013. Uma jovem democracia diante de sua maior crise de identidade.

Avaliação: Bom

0

Conte Isso Àqueles que Dizem que Fomos Derrotados (MG/PE), de Aiano Bemfica, Camila Bastos, Cristiano Araújo e Pedro Maia de Brito: cenas de uma ocupação
Parece haver uma busca insuspeita por imagens abstratas neste curta sobre ocupações urbanas do MLB – Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas. Mal vemos faces ou ouvimos diálogos com exatidão.

Puro cinema de guerrilha, o curta reúne uma série de movimentações coletivas e individuais em horário noturno e ambientes de parca iluminação. Montagem de acampamento, por exemplo, ou a tentativa de três jovens mulheres de fixar bandeiras do MLB numa propriedade. O filme revela uma urgência digna de thriller e usa cartelas informativas para explicar as imagens apresentadas. Mais uma coleção de cenas da militância social do que uma narrativa bem acabada.

Avaliação: Regular

Últimas notícias