Por “insuficiência de provas”, Neymar e Álvaro González não recebem punição

A única punição imposta na confusão entre o brasileiro e o espanhol foi a suspensão de dois jogos ao atacante do PSG

atualizado 30/09/2020 17:46

Neymar e Álvaro GonzálezAurelien Meunier - PSG/PSG via Getty Images

A comissão disciplinar da Liga de Futebol Profissional da França (LFP) absolveu Neymar e o zagueiro do Olympique de Marseille, Álvaro González, por “insuficiência de provas” no caso das denúncias de racismo e xenofobia. A definição foi publicada nesta quarta-feira (30/9).

“Depois de examinar o caso, ouvir os jogadores e representantes dos clubes, a Comissão concluiu que não há provas convincentes que permitem estabelecer a materialidade dos fatos e declarações de natureza discriminatória por Álvaro González contra Neymar durante o jogo, nem de Neymar contra Álvaro González”, consta o comunicado.

A única punição imposta na confusão entre o brasileiro e o espanhol foi a suspensão de dois jogos ao atacante do PSG por dar tapa na cabeça do adversário. Neymar relatou ter sido chamado de “macaco filho da p***” por González, fato confirmado em matéria do Esporte Espetacular por especialistas em leitura labial.

As imagens da reportagem foram usada pelo PSG, mas mesmo assim a liga concluiu que não houve ofensa. Contra o camisa 10 havia a denúncia de que ele havia chamado o lateral japonês Hiroki Sakai de “chinês de merda” na mesma partida do dia 13 de setembro. A decisão da LFP diz respeito à essa acusação também.

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias