Nos pênaltis, Inter despacha o Palmeiras e avança na Copa do Brasil

Partida no Beira-Rio tem atuação decisiva do VAR, emoção e expulsões até depois do apito final

Ricardo Duarte/Sport Club InternacionalRicardo Duarte/Sport Club Internacional

atualizado 18/07/2019 9:41

Foi sofrido, mas o Internacional conseguiu avançar para as semifinais da Copa do Brasil. Jogando em casa, no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS), o time gaúcho bateu o Palmeiras por 1 x 0 no tempo normal e, nos pênaltis, anotou 5 x 4 para mandar os paulistas para a casa e garantir uma vaga nas semifinais do torneio. Agora, os comandados de Odair Hellman enfrentam o Cruzeiro que, mais cedo, despachou o Atlético-MG. O VAR teve participação determinante em Porto Alegre. Aos 35 minutos do segundo tempo, Felipe Melo caiu na área e, de início, foi assinalado pênati. Ao rever a jogada, o árbitro Rafael Traci invalidou o lance. Depois de 12 minutos, o zagueiro Victor Cuesta marcou aquele que seria o segundo gol do Colorado, mas o árbitro Rafael Traci viu falta no lance e o invalidou.

O primeiro tempo não teve muitas chances de gol para ambas as equipes. Aos 18 minutos, Nico López recebeu passe de Edenílson e emendou para o gol. A bola, porém, passou ao lado do gol de Weverton. Cinco minutos depois, Gustavo Gómez e Guerrero se estranharam após  uma disputa de bola pelo alto. O peruano do Internacional ficou revoltado por achar que levou uma cotovelada proposital e precisou ser contido pelo árbitro Rafael Traci. Aos 40 minutos, o Internacional abriu o placar. Em chute de Patrick da entrada da área, a bola desviou em Luan e entrou, sem chances de defesa para Weverton. O gol do volante igualou o placar agregado e explodiu a torcida no Beira-Rio.

O segundo tempo foi nervoso. Com o resultado parcial levando a decisão da vaga para os pênaltis, reclamações e bate-bocas dominaram a partida. Os primeiros jogadores a receberem cartão amarelo foram Dudu e Nico López, aos oito minutos, por conta de um princípio de confusão. Apenas três minutos depois, D’Alessandro foi advertido por reclamação. Luan e Gustavo Gómez também receberam cartão amarelo na etapa complementar.

Aos 35 minutos, o VAR começou a ditar os rumos da partida. Felipe Melo invadiu a área e foi tocado. O árbitro Rafael Traci, em cima do lance, deu pênalti, mas inverteu a marcação após consulta ao árbitro de vídeo. Doze minutos depois, a jogada mais controversa do jogo: Victor Cuesta marcou de cabeça após cobrança de escanteio de D’Alessandro. Ao consultar o VAR, o juiz deu falta e invalidou o gol, levando à loucura os jogadores do Internacional. D’Alessandro, ao tentar falar com o árbitro, o tocou no cotovelo. Rafael Traci não gostou e deu amarelo ao argentino, que já fora advertido no segundo tempo e acabou expulso. Depois de nove minutos de acréscimos, o placar de 1 x 0 levou o jogo para os pênaltis.

Nos pênaltis
Antes mesmo das cobranças, o Internacional perdeu mais um jogador. Pedro Lucas também reclamou muito ao final da partida e recebeu cartão vermelho. Na marca da cal, a emoção e o equilíbrio foram predominantes. Pelos donos da casa, Guerrero, Rafael Sobis, Edenílson, Rodrigo Lindoso e Nonato converteram as cobranças, enquanto Bruno Henrique, Diogo Barbosa, Luan e Willian acertaram o pé nos pênaltis. O placar de 5 x 4 nas penalidades máximas explodiu em alegria a torcida no Beira-Rio e deu ao Internacional a vaga na semifinal da Copa do Brasil, quando o Colorado enfrentará o Cruzeiro.

Últimas notícias