Ministério emite nota de repúdio em caso de racismo contra Neymar

A pasta ressaltou que esse não é o primeiro episódio de preconceito contra o jogador brasileiro e que o crime deve ser denunciado sempre

atualizado 15/09/2020 16:41

Neymar discute em campoAurelien Meunier - PSG/PSG via Getty Images

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) emitiu nesta terça-feira (15/9) uma nota de repúdio contra “mais um caso de racismo no esporte”, em referência ao episódio de domingo (13/9) envolvendo o brasileiro Neymar.

O MMFDH lembrou que esse não é o primeiro caso em que o camisa 10 do PSG e da Seleção Brasileira é vítima de racismo. No domingo, Neymar acusou o zagueiro Álvaro González, do Olympique de Marseille, de ter lhe chamado de “macaco”.

“O MMFDH vem a público prestar solidariedade ao jogador Neymar Jr. O atacante chamado de ‘macaco’ pelo zagueiro Alváro González, do Olympique de Marseille, foi expulso de campo após reagir ao ato preconceituoso com um tapa. Essa não é a primeira vez que Neymar é vítima de racismo no futebol”, diz a nota.

A pasta ressalta que racismo é crime e reforça o telefone (100) para encaminhar denúncias aos órgãos competentes. Entre os grupos atendidos pelo Disque 100, estão crianças e adolescentes, pessoas idosas, pessoas com deficiência, pessoas em restrição de liberdade, população LGBT e população em situação de rua.

Vídeos
Últimas notícias