Honda era trunfo do Botafogo para vender mando no Brasileirão

De acordo com o portal UOL, o Glorioso votou a favor da prática e pretendia lucrar com a imagem do japonês

atualizado 28/02/2020 12:15

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou nessa quinta-feira (27/02/2020) que está proibida a venda de mando de campo no Brasileirão 2020. A medida desagradou alguns clubes, entre eles o Botafogo. De acordo com o site UOL, o clube alvinegro pretendia usar desse artifício para lucrar, sobretudo após a contratação do japonês Keisuke Honda.

Nos últimos dois anos, o Botafogo recorreu a essa prática apenas uma vez. Em 2019, o Glorioso vendeu o mando de campo e realizou o duelo contra o Palmeiras em Brasília. Apesar da derrota por 1 x 0, o jogo levou 33.143 torcedores ao estádio Mané Garrincha.

Ainda conforme publica o UOL, além do Botafogo, Flamengo, Atlético-GO, Internacional e Ceará votaram contra a proibição da venda de campo de campo. Eles, porém, foram superados pela maioria e a CBF, que havia sugerido o veto, optou pela proibição.

Últimas notícias