Masterchef 2019: a final será definida entre Rodrigo e Lorena

Mesmo tendo surpreendido nos últimos dois episódios, Eduardo não conseguiu manter a calma na semifinal

Carlos Reimis / BandTV / DivulgaçãoCarlos Reimis / BandTV / Divulgação

atualizado 18/08/2019 22:14

Masterchef Amadores está em sua reta final e neste domingo (18/08/2019) os dois finalistas do reality show foram definidos. Após duas longas provas, Lorena e Rodrigo garantiram as últimas vagas do programa. A última prova acontece no próximo domingo (25/08/2019) e finalmente os fãs do programa poderão saber quem vai levar a concorrida dólman.

A semifinal começou em clima de mistério, com o estúdio apagado. Érick Jacquin, Paola Carosella e Henrique Fogaça apareceram embaixo da luz de um holofote e logo explicaram a dinâmica da prova inicial. Os jurados selecionaram ingredientes especiais, separados em três caixas misteriosas. Os participantes precisaram cozinhar três receitas com os alimentos escolhidos e após a avaliação, levavam ou não um ponto. Quem marcasse mais, ganhava a primeira vaga na concorrida final.

A primeira caixa, selecionada por Jacquin, encontravam-se vários ingredientes da gastronomia clássica francesa, dentre eles o delicado lagostim. “Eu vou ser o diabo com vocês hoje”, reforçou o chef após apresentar o desafio.

Rodrigo preparou o crustáceo com molho de frutos-do-mar e vagem salteada, apesar de críticas mornas dos chefs, ganhou um ponto. Lorena agradou o trio ao apresentar um lagostim com fumet (caldo de peixe) e purê de batatas, garantindo também um ponto. Por último, Eduardo faz um bisque muito ácido que não conquistou os avaliadores e ficou sem pontuação.

Na segunda caixa estavam os ingredientes escolhidos por Paola. A chef selecionou frango, vieiras, cogumelos legumes, seu famoso pão artesanal e outros alimentos. Rodrigo não levou o ponto após apresentar vieiras cozinhadas e temperadas sem delicadeza. Lorena aumentou o seu placar ao oferecer aos jurados uma brusqueta de frango com tomates, avaliada como pouco refinada, mas saborosa. Eduardo também conquistou Jacquin, Paola e Fogaça com pequena porção de carpaccio de vieiras e cogumelos.

Fogaça colocou na terceira caixa polvo, polenta, arroz bomba, brócolis e outros itens. O chef reforçou seu apreço pela gastronomia limpa, simples e colorida. Com uma hora de prova, Rodrigo e Eduardo apresentaram pratos desequilibrados e não receberam pontos. Lorena garantiu a primeira vaga na final, com um polvo selado em ervas com tomates confitados, batatas e vinagrete.

A festa de Babette

Para escolher o dono da segunda vaga, o prova foi inspirada em um dos filmes mais importantes para a gastronomia: A festa de Babette (vencedor do Oscar de melhor longa estrangeiro de 1988). O roteiro conta a história de uma cozinheira que se refugia em uma pequena aldeia e, ao ganhar na loteria, gasta todo seu dinheiro para dar uma experiência de banquete aos locais que a acolheram muito bem. O prato principal da festa era Codorna no Sarcófago: codorna recheada com foie gras e trufas, em massa folhada e molho da própria ave.

Pela primeira vez foi possível ver Rodrigo nervoso, claramente com menos planejamento do que costuma ter. Eduardo, que normalmente apresenta um descontrole emocional, esbanjou insegurança, não conseguindo nem desossar as cordornas. Os chefs interviram para os candidatos poderem ajustar a técnica e chegar no final da prova com um resultado satisfatório.

Rodrigo entregou um prato com muito recheio, porém saboroso. Por outro lado, Eduardo apresentou uma massa mal assada e um molho amargo. Antes de anunciar o segundo finalista, Paola faz um discurso emocionado sobre como o filme a inspirou para seguir a carreira. Até Rodrigo chorou.

 

Últimas notícias