Ator brasiliense Hugo Carvalho estrelará novela bíblica da Record

O artista viverá Pelegue, um caçador, na trama de Gênesis: a nova aposta religiosa da emissora

DIvulgaçãoDIvulgação

atualizado 25/01/2020 20:46

Há algum tempo, o mercado de telenovelas brasileiras anda aquecido: além das tradicionais produções globais, a Record encontrou no segmento religioso um filão importante. Depois do sucesso de Dez Mandamentos e José do Egito, a emissora apostará em Gênesis: no elenco, estará o ator brasiliense Hugo Carvalho.

Aos 30 anos, Hugo parte para sua terceira novela na Record: ele fez participações em Milagres de Jesus e Topíssima. Porém, em Gênesis, será a primeira vez com um personagem maior, o Pelegue, que terá destaque em uma das fases da produção – prevista para estrear em abril de 2020.

“A novela deve ter cerca de 130 capítulos e será dividida em fases: Adão e Eva; Noé; Torre de Babel, da qual faço parte; Hur; Abraão; e José do Egito”, contou Hugo ao Metrópoles. “O Pelegue é um caçador, divertido, um pouco ingênuo. Puxa para o lado da comédia”, diz o ator.

Instagram/Divulgação
Hugo e parte do elenco de Gênesis, da Record

O folhetim promete ares de superprodução, com locações por todo o Brasil e gravações no Marrocos – para onde o elenco embarga no próximo dia 31 de janeiro. “A Record está investindo pesado, o visual será impactante”, pontua Hugo.

A previsão é de que o núcleo do brasiliense entre no ar a partir do 7º capítulo, após o dilúvio que força Noé a construir sua famosa arca.

Familiaridade

Hugo Carvalho é católico, crescido em uma família brasiliense que tinha como hábito frequentar a missa aos domingos. Ele chegou a tocar nas celebrações religiosas por cinco anos. Por isso, o ator confessa ter certa familiaridade com a trama de Gênesis.

No entanto, antes de virar ator profissional, Hugo seguiu uma carreira pouco afeita à religião: ele é formado em física pela Universidade Católica de Brasília (UCB). Apesar de ciência e fé não caminharem lado a lado, o ator acredita que as duas têm mais pontos em comum do que imaginam.

“Cara, eu digo que as coisas se completam. Tem certos pontos que a ciência não consegue explicar, alguns furos. Aí a religião dá conta [disso]. Uma complementa a outra. Einstein, por exemplo, acreditava em uma força maior”, avalia o ator.

O jovem, inclusive, planeja uma peça que una seu lado cientista e sua visão religiosa do mundo. Hugo não pode ainda divulgar muitos detalhes do espetáculo, mas seria centrado na forma como figuras proeminentes da ciência enxergam a fé.

A carreira

Hugo, que mora no Rio de Janeiro desde 2012, não mudou da carreira científica para o mundo dos palcos. Segundo o próprio artista, as coisas ocorreram simultaneamente. No fim do último ano do ensino médio, o jovem começou a fazer teatro como atividade extracurricular. Na peça de fim de ano, então, conheceu Rafael Nascimento, que o convidou a ingressar na Companhia 2tempoS.

Por lá, permaneceu por quatro anos, enquanto cursava a graduação em física. Na trupe, passou por todos os pontos necessários: atuação, roteirização, produção e direção. Formado na faculdade, ele pegou o diploma e foi atrás do sonho na capital carioca.

“A física me deu um olhar e o teatro, outro. A ciência exata te obriga a seguir passos, e a arte tem um lado transgressor. Não tem como botar o dedo na tomada e sair sem levar um choque, mas no teatro é mais fácil de inventar”, pondera.

Desde que saiu de Brasília, Hugo retorna à capital para visitar amigos e familiares. Quando passa pela cidade, tem um passeio que sempre gosta. “Vou dar uma volta na Esplanada. É uma forma de me reconectar com tudo”, conclui.

Últimas notícias