A Dona do Pedaço: por dentro da fábrica de bolos de Maria da Paz

Nesta semana, na novela das 9, a malvada Jô (Agatha Moreira) ordenará que a empresa de sua mãe seja incendiada

TV Globo/Divulgação

atualizado 02/08/2019 19:33

Nos próximos capítulos de A Dona do Pedaço, a trama vai girar fortemente em torno da fábrica de bolos de Maria da Paz (Juliana Paes). Afinal, a “joia da coroa” da empresária será cobiçada por Jô (Agatha Moreira), que não hesitará em pedir ao primo, Rael (Rafael Queiroz), que o local seja incendiado.

O motivo? Fazer com que as dívidas de sua mãe junto aos credores não sejam pagas e ela – para não ter que vender a empresa – se veja forçada a passá-la para o nome da filha, uma vilã inteiramente desprovida de caráter. Assim, antes que a fábrica de bolos vire cinzas, o Metrópoles mostra com exclusividade os detalhes desse cenário tão especial, que fez a fortuna da protagonista da novela das 9.

0
Inspiração em fábricas de verdade

Cenógrafo de A Dona do Pedaço em parceria com Alexandre Gomes, Claudiney Barino explica como a fábrica de Maria da Paz foi desenvolvida. “Todo o projeto baseado nas visitas que fizemos às indústrias de bolos para entendermos o fluxo de produção do produto, do início ao fim, inclusive o estoque. A partir disso, idealizamos a planta baixa da fábrica”, explica ele, que também contou com a valiosa ajuda de Luciana Massena, assistente de cenografia.

Porém, como toda empresa que se preze, as salas de Maria da Paz e de seu diretor financeiro, Márcio (Anderson Di Rizzi), também foram muito bem pensadas para se integrarem com perfeição ao projeto da fábrica. “Como ela é a dona, a ideia foi fazer com que de seu escritório tivesse visão total da cozinha, uma arquitetura comum em algumas fábricas”, diz Barino.

TV Globo/Divulgação
Fábrica de Maria da Paz (Juliana Paes) será incendiada na novela A Dona do Pedaço
Maior cenário das novelas da Globo

As cenas da fábrica são gravadas no prédio da Bolos da Paz, construído na cidade cenográfica dos Estúdios Globo. Trata-se do maior espaço interno entre todas as cidades cenográficas utilizadas atualmente, com nada menos que 400 metros quadrados de área útil. “Aí estão localizados a recepção, o refeitório, as salas da Maria da Paz e do Márcio, e a cozinha, com cinco batedeiras, duas máquinas de recheio, dois fornos grandes, bancadas, geladeiras, fogão e coifa”, finaliza o cenógrafo.

Últimas notícias