Nego do Borel: Polícia de SP espera depoimento e analisa vídeo de A Fazenda

Cantor é investigado sobre a suspeita de estupro contra a modelo Dayane Mello, sua colega em A Fazenda 13. Funkeiro foi expulso do reality

atualizado 06/10/2021 13:21

Funkeiro tem sido alvo de várias polêmicas nos últimos mesesReprodução/Instagram

São Paulo – O cantor Leno Maycon Viana Gomes, o Nego do Borel, de 29 anos, é esperado para ser ouvido pela Polícia Civil de São Paulo na investigação por suspeita de estupro contra a modelo Dayane Mello, durante a A Fazenda 13, da TV Record. Ainda não há uma data prevista para o funkeiro prestar esclarecimentos.

O jornal Extra afirmou que os policiais devem analisar também imagens do programa, que já teriam sido disponibilizadas pela TV Record. Os estúdios de gravação de “A Fazenda” ficam em Itapecerica.

Ao Metrópoles, a Secretaria de Segurança de SP informou que o caso é investigado, sob segredo de Justiça, por meio de inquérito policial instaurado pela Delegacia de Itapecerica da Serra. Outros detalhes serão preservados a fim de garantir a autonomia do trabalho policial.

0
Expulsão de reality

Há dez dias, o cantor foi expulso do programa “A Fazenda”, depois de uma denúncia de estupro. Vídeos compartilhados na internet mostraram que o cantor e outra participante, Dayane, foram se deitar juntos depois de uma festa. No entanto, algumas falas da modelo indicam que ela demonstrou resistência às investidas do cantor.

Após as imagens viralizarem, a TV Record foi cobrada e, então, decidiu expulsá-lo do reality show. Desde então, ele vem reclamando de estar passando por um momento difícil.

Desaparecimento no Rio

O cantor se envolveu em outro caso de polícia nesta semana. Na segunda-feira (4/10), a mãe dele, Roseli Viana, denunciou o seu desaparecimento na 42ªDP do Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste do Rio. O funkeiro foi encontrado nesta terça-feira (5/10) por agentes da Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA).

Após seu caso mobilizar a polícia, que fez até buscas na marina de Itucuruçá, na Costa Verde, o funkeiro foi encontrado em um motel da zona norte do Rio. Ao sair da delegacia, depois de prestar depoimento, Nego afirmou que queria ficar sozinho, por isso não deu notícias nas 24 horas em que ficou “desaparecido”.

“Saí ontem e não avisei minha mãe. Fiquei isolado, porque estou passando por um momento difícil. Muita coisa acontecendo na minha vida”, disse.

Em seguida, ele acrescentou que “quis ficar sozinho”. “Não sabia que minha mãe ia à delegacia e ia dar toda essa repercussão. Não cogitei a possibilidade de ela vir à delegacia e peço desculpa. Quis ficar sozinho, não estava com nenhuma mulher. Tomei muito remédio, queria dormir.”

A delegada que investiga o caso, Elen Souto, negou que ele tenha tentado se matar. A titular da DDPA afirmou que o artista quis apenas ficar isolado e utilizou remédios para dormir. Segundo Souto, o funkeiro está visivelmente alterado psicologicamente e se comprometeu a procurar um tratamento. Ela informou que as investigações do caso estão encerradas após ele ter sido encontrado no início da tarde desta terça-feira (5/10).

Últimas notícias