Crítica: Post Malone mostra proeza musical em Hollywood’s Bleeding

O hitmaker já é conhecido pelo hip-hop, trap e rock, mas em seu novo álbum adiciona ainda mais tempero à sua musicalidade

Natt Lim/Getty Images for CoachellaNatt Lim/Getty Images for Coachella

atualizado 11/09/2019 16:04

Com tatuagens no rosto e “meio gatinho”, Post Malone é uma figura inesquecível. No entanto, ele não se resume apenas ao seu visual impactante. Apesar de parecer intimidador, a voz dele é tão reconfortante que é difícil não o achar amável e não gostar de sua música. Ao longo dos últimos anos ele marcou a indústria com hit após hit, chegando à liderança das paradas musicais.

Seu álbum passado, beerbongs & bentleys, lançado em abril de 2018, se mantém na Billboard 200 há 71 semanas. Além disso, o artista também conta com quatro faixas na Billboard Hot 100. Ele sempre foi conhecido por misturar hip-hop, trap, country e pop, mas seu novo álbum, Hollywood’s Bleeding, é extremamente diferente dos seus trabalhos anteriores. E ainda assim, Post não decepciona com suas músicas.

Ao invés da mistureba de hip-hop e rock, parece que o artista está se divertindo mais com suas canções. Ainda por cima, ele emplacou colaborações com artistas como Ozzy Osbourne, DaBaby, SZA, Travis Scott e Halsey, além da ajuda de Kanye West na faixa Internet. Embora pareça uma combinação muito aleatória de artistas, Post conseguiu manter uma consistência musical e lançar um álbum digno de respeito. Por conta disso, não seria surpreendente se Hollywood’s Bleeding subisse as paradas rapidamente até o fim do ano.

Ao longo das faixas, Post desabafa sobre não saber as intenções daqueles ao seu redor e como isso te afeta. No entanto, nem todas as músicas são tristes (como Myself, que até tem um ritmo quase igual à linha mais memorável de Love Yourself, de Justin Bieber). Em Circles, o single que ele lançou antes do álbum, há uma sonoridade de guitarra reminiscente de bandas como Portugal the Man ou Foster the People.

Enquanto isso, em Die for Me, o trap-pop volta, com Future e Post lamentando seus relacionamentos com mulheres que os enganaram. Enquanto isso, na mesma faixa Halsey dá seu próprio ponto de vista como mulher em um verso muito melhor do que sua discografia inteira.

Em Take What You Want, uma faixa contando com a participação de Ozzy Osbourne e Travis Scott, Post prova que ele realmente consegue fazer de tudo. Embora Travis já tenha trabalhado com o autor, foi o colaborador de Post que o conectou com o roqueiro icônico do Black Sabbath. Enquanto os rappers falam de garotas que quebraram seus corações, Ozzy é quem define o ritmo familiar da faixa.

Hollywood’s Bleeding revisita diversos temas de faixas passadas, como Paranoid, sobre quando Post sofreu uma invasão domiciliar em Hollywood. Ao mesmo tempo, ele diversifica com canções como Saint-Tropez, onde celebra todos os mimos que vêm com seu sucesso.

O maior talento de Post Malone é criar faixas com as quais os ouvintes começam a dançar sem perceber. Não importa se a puxada é hip-hop, rock ou pop – o rapper de 24 anos é profissional em criar músicas que qualquer pessoa vai gostar. O melhor exemplo é a faixa Allergic, uma mistura gostosa de pop punk com a harmonia doce da voz do rapper que te deixa viciado.

Avaliação: Ótimo

Últimas notícias