As Baías fazem live do orgulho com Tássia Reis, Gloria Groove e mais

Show virtual será transmitido do topo de um prédio no centro da capital paulista, neste domingo (27/6)

atualizado 26/06/2021 12:53

BaíasCredito Rodolfo Magalhães

Há tempos o trio As Baías tem sonhado em ocupar um lugar de destaque na Parada LGBTIA+ de São Paulo. Embora a oportunidade tenha surgido esse ano, em que o evento ocorrerá, mais uma vez, em formato virtual,  os planos de contribuir com algo grande para a programação não serão abalados. O grupo prepara uma live que, segundo cantora Assucena Assucena, “será o maior projeto de show da carreira das Baías”.

Descrita pelos artistas como uma uma experiência musical inovadora e interativa com o público, a live em comemoração ao Mês do Orgulho LGBT será transmitida neste domingo (27/6), às 18h, ao vivo,  do topo de um prédio no centro da capital paulista, com participações de MC Rebecca, Tassia Reis, All Ice, Gloria Groove e do ex-BBB21, João Luiz.

Em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (23/6), o trio formado por duas mulheres trans, Assucena Assucena e Raquel Virginia, e um cis hétero, Rafael Acerbi, ao lado dos artistas convidados, explicou que além de construir um conteúdo audiovisual potente para aproximá-los dos fãs, a live foi pensada para chamar atenção para as várias nuances que a sigla LGBTIA+ representa.

“Todas as pessoas que estão nesse projeto foram escaladas para que a gente consiga simbolizar algo que muitas vezes acaba não aparecendo na própria parada. É muito comum, por exemplo, artistas cis terem destaque no evento enquanto artistas trans seguem apagados. O que as Baías propõe com essa escalação é, justamente, trazer esse novo olhar, que precisa contemplar um recorte racial, por exemplo. Uma coisa é ser LGBT, outra coisa é ser LGBT e negro; ou LGBT, negro e periférico”, explica Assussena.

Posicionamento claro e homenagens

Para além de passear pelo repertório de lançamentos recentes da banda, que inclui feats com Luísa Sonza, Péricles e Xand Avião, as Baías pretendem reforçar mensagens de persistência, luta e inspiração para a comunidade, reverenciando a importância de artistas que vieram primeiro. Cássia Eller e Cazuza são alguns dos artistas homenageados.

“A gente ainda precisa construir marcos de memória da população LGBT no país, e estamos muito aquém disso. Memória gera consciência política e um repertório onde tem baías, MC Rebecca, All Ice e Glória Groove é um ato político”, defende Assussena.

Política, aliás, não deve ser um tema alheio à programação. “Meu existir já é um posicionamento político, então com certeza deve ter algum momento para isso. Eu acho uma questão importante falar deste assunto, e deve ter algum texto para isso. Caso não tenha de forma explicitamente, já deixo aqui o meu: sou fora Bolsonaro”, revelou Tassia Reis.

Mesmo com a ansiedade para retornar aos palcos presenciais, os artistas querem aproveitar a live para conscientizar a população sobre o momento atual. “Queríamos estar fazendo um show com a Paulista lotada, abraçando nossos fãs. Mas essa também é a maneira que temos de conscientizar as pessoas sobre a importância de ficar em casa e usar máscara e se cuidar”, frisou Assussena.

Mais lidas
Últimas notícias