Vídeo: Esquadrilha da Fumaça homenageia os 60 anos de Brasília

A Força Aérea Brasileira (FAB) usou seus caças para escrever no céu uma mensagem para a capital do país

atualizado 21/04/2020 16:49

esquadrilha da fumaçaFAB/Divulgação

O céu de Pirassununga, em São Paulo, serviu de tela para uma homenagem feita pela Esquadrilha da Fumaça neste 21 de abril, dia em que a Brasília completa 60 anos. O Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), nome oficial da Esquadrilha da Fumaça, reviveu o dia da inauguração da capital federal, em 1960.

Força Aérea Brasileira (FAB) explicou que a mensagem foi feita em São Paulo devido à pandemia da Covid-19, que suspendeu os eventos da capital federal. As aeronaves A-29 Super Tucano, da “Fumaça”, escreveram “BRASÍLIA 60 ANOS” durante um voo de treinamento dos pilotos.

O Comandante do EDA, tenente-coronel aviador Marcelo Franklin Rodrigues, lembrou que a Aeronáutica está presente em Brasília desde sua fundação. “Naquela época, a Esquadrilha da Fumaça já sobrevoava os céus da capital federal. Hoje, no aniversário de 60 anos de Brasília, a FAB faz uma homenagem especial à cidade que nasceu com asas”. A mensagem faz referência ao formato de avião idealizado por Lucio Costa, vencedor do concurso que buscava um projeto para a nova capital do Brasil.

História

A relação da capital federal com a FAB vai além das apresentações da “Fumaça”. Em 1956, a bordo de um avião Douglas DC-3 da FAB, o então presidente Juscelino Kubitschek desembarcou no aeroporto Vera Cruz, construído por Bernardo Sayão, próximo ao Eixo Monumental. O local, anos depois, daria lugar à Rodoferroviária. O presidente e sua comitiva chegavam à sede da fazenda Gama para conhecer as terras onde seria erguida a nova capital da República.

Quando a cidade era ainda um canteiro de obras no meio do Centro-Oeste, aeronaves da Força Aérea ajudavam a trazer o material necessário para a concretização do projeto de Lucio Costa e do arquiteto Oscar Niemeyer. Naquela fase, a participação do Correio Aéreo Nacional (CAN) foi fundamental.

Com a ajuda de aviões da FAB, era possível minimizar os 1,2 mil quilômetros de distância entre o Rio de Janeiro e Brasília para o translado de insumos de construção. Os aviões do CAN traziam toneladas de materiais, máquinas e apoio humano para o pontapé inicial na construção da nova capital brasileira.

Veja o vídeo da Esquadrilha da Fumaça:

Isa

Últimas notícias