Vídeos: cratera se abre em obra na Asa Sul e engole carros

Deslizamento ocorreu na tarde desta terça, na 709/909 Sul. Trabalhadores de prédio ao lado gravaram vídeo relatando medo de o solo ceder

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 10/12/2019 19:41

Uma cratera se abriu na altura da 709/909 Sul na tarde desta terça-feira (10/12/2019), durante forte chuva que caiu no Distrito Federal. O deslizamento em uma obra arrastou quatro carros que estavam estacionados no local. O canteiro de obras fica em frente à Cultura Inglesa e próximo ao Centro de Ensino Fundamental Caseb, além de edifícios comerciais.

Na internet, trabalhadores de um dos prédios que ficam ao lado publicaram vídeo informando que evacuariam o local com medo de que o solo cedesse. Nos edifícios da região, há muitos consultórios médicos, que estão desmarcando atendimentos aos pacientes, segundo pessoas ouvidas pela reportagem.

Militares do Corpo de Bombeiros e servidores da Defesa Civil foram até lá e interditaram áreas perto do local do incidente. Apesar do susto, não houve feridos.

“Em princípio, houve a ruptura de uma tubulação de água pluvial. Em decorrência disso, o solo atrás do muro de arrimo ficou extremamente encharcado e a estrutura cedeu”, afirmou o tenente Walmir, do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF).

Ainda segundo o oficial, os donos dos quatro veículos que caíram no buraco já foram identificados e estão bem. Nenhum deles estava dentro do carro.

“A cena é bastante insegura. A edificação ao lado foi evacuada e permanece interditada. Outra não foi, não há problema estrutural. Os veículos perto serão retirados paulatinamente pelos próprios bombeiros”, acrescentou o militar.

Semanalmente, uma paciente vai ao instituto Júlio Adnet, um dos prédios adjacentes à obra, para tratamentos médicos. “É muito difícil achar vaga, mesmo sendo idosa. Vim com meu marido para uma consulta e, quando volto, meu carro foi engolido pelo buraco”, contou a aposentada que teve o Honda HRV tragado pela cratera. Ela pediu para não ter o nome divulgado.

A empreiteira responsável pela obra, D&B Construtora e Incorporadora, se manifestou por meio do engenheiro da obra, Carlos Medeiros. “A empresa já tem mais de 30 anos de atividade e mais de 200 obras no Distrito Federal. Trabalhamos como sempre fizemos e, em todo esse tempo, nunca tivemos problemas desse tipo”, disse. Medeiros acrescentou que será erguido um centro clínico no local.

Veja fotos:

A Defesa Civil orienta a população a evitar a W4 e a W5 na altura da 709/909 e pediu ao Departamento de Trânsito (Detran-DF) a redução do tráfego para evitar sobrepeso na W4. Também por determinação do órgão, o expediente de estabelecimentos que ficam próximos ao local foi encerrado mais cedo.

A rua em frente ao buraco permanecerá isolada até a liberação pela Defesa Civil. A empresa foi notificada e deverá começar os reparos na estrutura nesta quarta-feira. “Esses reparos terão de ser feitos não só para corrigir, como para evitar novos danos”, disse o tenente Walmir Oliveira, do Corpo de Bombeiros.

Drama no Sol Nascente

Nesta terça-feira (10/12/2019), o Metrópoles relatou o drama da família de Maria Aparecida Pereira de Souza, 44 anos. Moradora de área de risco, a diarista ficou desabrigada após a residência que batalhou para construir ir abaixo. Erguido sobre a rede pública de esgoto, o imóvel foi engolido, no último sábado (07/12/2019), por uma erosão provocada pela ruptura da tubulação.

Da casa onde a diarista morava com o marido e os dois filhos, restaram apenas um banheiro e um quarto. A família dividia o imóvel há nove anos. Em meados de 2010, Cida, como é conhecida, conseguiu juntar suas economias para comprar um lote na Chácara 91 do Sol Nascente.

Ao logo do período em que esteve no lote, a mulher diz ter investido pelo menos R$ 80 mil na casa simples. Com o dinheiro, ergueu dois quartos, cozinha, sala e banheiro. Era seu “sonho realizado”. Planejava investir em melhorias no imóvel quando foi surpreendida pela ruptura da tubulação de esgoto.

Últimas notícias