Veja fotos da fazenda incendiada por suspeito de cometer chacina no DF

Criminoso está com um revólver calibre 32, além de outras outras armas e projéteis furtados nas fazendas. Ele incendiou uma das propriedades

atualizado 13/06/2021 14:14

Casa incendiada por Lázaro SousaPMDF/ Divulgação

O homem suspeito de matar uma família no Distrito Federal continua foragido, mobilizando agentes de diversas forças de segurança do DF e de Goiás. Unidades da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), da Polícia Militar (PMDF), da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Federal (PF) estão espalhadas em pontos estratégicos. As buscas ocorrem em propriedades da região e na mata. O suspeito incendiou uma fazenda onde fez o caseiro refém.

Na noite de sábado, Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, invadiu a fazenda da família de um soldado do 8º Batalhão de Polícia Militar (BPM), propriedade situada perto da Lagoa Samuel. O suspeito fez o caseiro refém, quebrou móveis e objetos da residência, bebeu e fumou maconha. Também obrigou o funcionário a consumir a droga.

Segundo a corporação, o dono do imóvel chegou à propriedade no início da noite, e abriu cancela. Foi nesse instante, provavelmente, que o suspeito fugiu e levou o caseiro como refém.

O criminoso seguiu para a fazenda ao lado, a cerca de 700 metros, e baleou três homens. Havia no local uma mulher e uma criança. Testemunhas informaram que o suspeito da chacina colocaria fogo na casa, mas não o fez por causa das vítimas.

Uma equipe da Rotam-GO tentou abordá-lo; houve 15 disparos de arma de fogo em direção aos policiais militares. Em seguida, Lázaro fugiu para mata próxima.

Neste momento, o criminoso está munido de revólver calibre 32, além de outras outras armas e projéteis furtados nas fazendas. Ele colocou fogo em uma propriedade e ainda tentou pegar outro caseiro de refém.

Veja fotos do local:

0
Chacina

A chacina deixou a população do Distrito Federal em choque. Os corpos dos familiares assassinados estavam no quarto da residência – um deles sobre a cama e dois no chão. As vítimas foram encontradas com marcas de tiro e facadas.

Antes de morrer, Cláudio disse ao cunhado que a esposa havia sido levada por quem invadiu a casa deles: “Age rápido, porque levaram a Cleonice”. A polícia informou que os celulares das vítimas estavam em casa. Porções de dinheiro também foram encontradas.

Últimas notícias