Usuários reclamam após mudança no terminal de ônibus do Entorno

Transferência do embarque e desembarque de volta para a Rodoviária do Plano Piloto passou a valer neste domingo (05/01/2020)

atualizado 06/01/2020 15:33

Hugo Barreto/Metrópoles

Este domingo (05/01/2020) marcou o primeiro dia da volta do embarque e desembarque à Rodoviária do Plano Piloto dos ônibus que atendem o Entorno do Distrito Federal. Desde 2014, o serviço ocorria no prédio do Touring.

Agora, o transporte coletivo de passageiros do Distrito Federal/Goiás ocupará a Plataforma D do terminal. São 200 mil pessoas atendidas por dia, no trabalho que envolve sete empresas e um total de 110 linhas que se destinam a 11 cidades do Entorno do DF.

A transferência, no entanto, pegou muitos passageiros de surpresa. Os casos daqueles que descobriam a mudança apenas ao chegarem ao Touring eram maioria. Como aconteceu com Lilith Marques, 18 anos, e Ana Cláudia Santos, 19.

Sem o movimento dos ônibus, a dupla chegou a cogitar uma greve do transporte público. “Ontem [sábado, 04/01/2020], a gente veio aqui e estava normal. Chegamos hoje [05/01/2020] e tivemos essa surpresa. Se vocês não tivessem nos falado, não saberíamos”, afirmou Lilith.

Mesmo acreditando que o prédio do Touring é mais abandonado, em questão de segurança, do que a Rodoviária do Plano Piloto, Lilith desaprovou a transferência — realizada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) a pedido do GDF. “Preferia [que continuasse] aqui. Lá ficam muitos ônibus e é tumultuado. No Touring era mais organizado”, opina a babá.

Cláudio de Lima, 21, também foi um dos passageiros que não sabia da mudança. Ele foi avisado pelo segurança do prédio ao chegar ao local e não encontrar ônibus. Diferentemente de Lilith, Cláudio acredita que a transferência virá para melhor.

“Com a integração, talvez fique melhor para o pessoal que mora em Goiás”, aponta. “Tem gente falando que vai ser o caos, mas acho que na rodoviária vai ser melhor, por ser mais acessível.” A segurança do Touring é outra questão que, para Cláudio, torna a mudança positiva. “Direto, eu via assalto, além de comércio ilegal”, lembra o morador de Valparaíso.

0
Organização

Cícera Sobreira, 44, estava quase no prédio do Touring quando cruzou com outro passageiro, que a avisou sobre a mudança. Chegando ao novo local de embarque, a doméstica recebeu a ajuda de um fiscal da rodoviária.

“Tudo bagunçado”, definiu Cícera “Preferia que tivesse ficado lá.” Com a manhã chuvosa, a moradora do Entorno cobrou uma proteção contra a água, que invadia o terminal. “Precisamos chegar para trás”, conta.

Outra queixa foi sobre a identificação de quais boxes seriam destinados às linhas que ligam o DF ao Entorno. Apenas placas viradas para a pista informavam os passageiros.

“Tive que passar por trás [para descobrir]”, conta Aldo Armstrong, 19. “Acredito que vai ficar mais apertado”, completa o militar sobre a volta das linhas à Rodoviária do Plano Piloto.

Já Cleidson da Silva, 43, não acredita que a transferência fará diferença na vida dos passageiros. “Vai dar na mesma. Já era aqui antes. Não sei porque mudaram”, aponta o funcionário público. Cleidson também foi avisado sobre a mudança por outro passageiro, quando chegava ao Touring.

Há cinco anos, o transporte interestadual semiurbano funcionava na Rodoviária do Plano Piloto. Em março de 2014, houve necessidade de reforma no prédio para receber os ônibus do Expresso DF Sul, o BRT do Gama e de Santa Maria.

0
Período de adaptação

A ANTT esteve na Rodoviária do Plano Piloto neste domingo (05/01/2020) para ajudar na fiscalização e na organização dos ônibus. A presença dos agentes também tinha como objetivo informar os passageiros sobre a mudança.

“Ainda falta uma cobertura [contra a chuva], falta acessibilidade”, aponta Júlio Ramos, coordenador nacional de transporte semiurbano da agência sobre o que ainda precisa ser feito no local.

Segundo Ramos, as equipes da ANTT continuarão com o processo de fiscalização e adaptação por, pelo menos, mais duas semanas. “Também vamos reativar a sala da ANTT na rodoviária”, destaca.

Para o coordenador, a agência e o GDF trabalham em conjunto para que todos sejam informados da mudança e dos novos locais de embarque para o Entorno.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob). A pasta informou que a divulgação da nova operação começaram na segunda quinzena de dezembro de 2019.

“Em parceria com a ANTT, responsável pelas linhas do Entorno, foram realizadas ações de divulgação, por meio dos sites oficiais, redes sociais, publicidade legal em rádios, entre outras mídias, incluindo reportagens feitas pela imprensa local”, diz nota enviada ao Metrópoles.

A Semob afirma que técnicos da pasta e da ANTT acompanham a operação para orientarem os usuários. “Nesta segunda-feira (06/01/2020), as orientações aos usuários serão reforçadas com apoio das empresas que operam as linhas do DF e do Entorno.”

Também em nota, a Agência Nacional de Transportes Terrestres afirmou ter distribuído cerca de 350 cartazes na Rodoviária do Plano Piloto, Touring e nas empresas de ônibus envolvidas na operação.

Novo museu

O prédio estava alugado desde junho de 2014. O contrato expirou em dezembro de 2018 e, desde então, o GDF ocupava o prédio mediante requisição administrativa. Agora, o Touring Club — edifício assinado por Oscar Niemeyer e tombado como patrimônio histórico e cultural — vai abrigar o Museu do Futuro.

Em cerca de 7 mil metros quadrados, a ideia é proporcionar um espaço de aprendizado que conecta inovação e arte. Exposições e instalações visarão despertar o interesse do público pela ciência. A expectativa é de que o projeto fique pronto em 2022.

O Museu do Futuro contará também com apoio do Exploratorium, um dos principais centros interativos do mundo, localizado em São Francisco, nos Estados Unidos. O Espaço Sesi Senai do Futuro também buscará colaborar com outros parceiros de renome internacional.

Confira os novos locais de embarque e desembarque dos ônibus do Entorno:

ANTT/Divulgação

ANTT/Divulgação

Últimas notícias