A nova realidade do Passe Estudantil no DF: simples e sem filas

GDF acerta ao passar ao BRB a gestão do Sistema de Bilhetagem Automática. O resultado, segundo usuários, é burocracia menor e serviço melhor

atualizado 12/02/2020 18:01

Andre Borges/Esp. Metrópoles

Alunos de todo o Distrito Federal iniciaram o ano letivo de 2020 com um cenário diferente do que estavam acostumados na hora de carregar os cartões do passe estudantil no transporte público. Após décadas de falhas na prestação do serviço – que incluíam desde longas filas nos postos de atendimento a desvios milionários investigados pela polícia –, os usuários ficaram surpresos e elogiaram as mudanças.

Entre as novidades, está o cadastro dos beneficiários, que passou a ser feito integralmente pela internet. A ferramente virtual foi implementada pelo Banco de Brasília (BRB), que assumiu a gestão do Sistema de Bilhetagem Automática (SBA) em novembro de 2019.

Segundo o BRB, dos 460 mil estudantes da rede pública de ensino que voltaram às aulas na última segunda-feira (10/02/2020), cerca de 200 mil vinculados a instituições públicas do Distrito Federal estão registrados para utilizar o Cartão +Estudante, conhecido como Passe Livre.

Amanda Silva, 16 anos, utiliza o benefício há quatro anos. Ela estuda no 3º ano do Centro de Ensino Médio Setor Leste, na Asa Sul, e disse que, em anos anteriores, já teve uma série de problemas relacionados ao recadastramento do benefício.

“Esta vez foi a mais tranquila. Na segunda-feira, quando retornei ao colégio, passei o cartão no validador e ele leu de primeira. Fiquei contente, porque nos anos passados nunca sabíamos como seria o primeiro dia de uso. Era uma dor de cabeça para continuar usando”, destacou a adolescente.

Amigo de Amanda, Felipe Augusto, 17, que também estuda no Setor Leste, também elogiou o sistema. “No meu caso, perdi o cartão e precisei pedir outro. Fiz todo o processo pela internet e aguardei a chegada ao posto de atendimento para ir buscá-lo. Eles me deram um prazo de 15 dias, que foi cumprido. Em anos anteriores, já esperei cerca de dois meses para receber uma segunda via. Na minha opinião, já é notória a melhoria no atendimento aos usuários. Esperamos que continue bom assim”, enfatizou.

Até quem enfrentou dificuldades ficou surpreso com a forma como o contratempo foi sanado. “Fui ao posto de atendimento e rapidamente resolveram a minha questão. A atendente pediu para eu ver, em 24 horas, se já estava passando normalmente. Foi rapidinho, nem acreditei”, elogiou Karen Neres Cardoso (foto em destaque), 18, que faz faculdade em Taguatinga.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0
Investimentos

A nova realidade, conforme frisou o gerente de Bilhetagem do BRB, Saulo Nacif, é reflexo de investimentos do banco após Ibaneis Rocha (MDB) determinar medidas para acabar com os problemas que se repetiam anualmente. Entre as iniciativas, o governador extinguiu o Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), autarquia que, segundo o próprio emedebista, era um “antro de corrupção”.

“Desde que assumiu o sistema em novembro de 2019, o BRB Mobilidade tem feito um esforço significativo em modernização e infraestrutura de tecnologia para dar estabilidade aos usuários. Disponibilizamos uma nova versão do site, para o autosserviço, e os estudantes têm acesso a 100% das funcionalidades 0n-line. Só precisam se dirigir a um posto de atendimento para retirar a primeira ou a segunda via do cartão”

Saulo Nacif, gerente de Bilhetagem do BRB

Nacif classificou o período de volta às aulas como “extremamente positivo”. “Nos postos de atendimento, as filas estão sempre praticamente zeradas. Em alguns momentos, há registro de um pouquinho mais de pessoas, mas algo completamente natural. Isso se deve também à ampliação dos locais de atendimento. Antes, existiam apenas três. Hoje, são 10”, acrescentou.

Recomendações

No caso dos alunos que, ao tentarem utilizar o benefício, recebem a mensagem de que o cartão está vencido, Nacif explica como resolver o problema. Segundo o gestor, houve casos de escolas que enviaram dados dos estudantes referentes ao semestre anterior. O colégio tem de mandar as informações atualizadas.

Conforme salientou o gerente de Bilhetagem do BRB Mobilidade, os estudantes dever acessar o site do sistema e consultar o status do cadastro para saber se estão na lista de frequência da escola. “Uma coisa é o cadastro do aluno estar devidamente ok junto ao BRB. Outra é a escola ter informado que ele está matriculado no período letivo”, explicou.

“A partir do momento que a instituição de ensino manda a atualização para o BRB, em 48 horas o processo está validado,” garantiu Nacif. O diretor ressalta ainda que os beneficiários precisam verificar se o cartão está em condições de uso. Caso contrário, é necessário pedir nova via.

Atendimento rápido

Entre os 10 postos de atendimento aos usuários, um fica na Rodoviária Interestadual de Taguatinga. O Metrópoles esteve no local nesta quarta-feira (12/02/2020) e constatou que a movimentação seguia tranquila. Com poucas pessoas na fila, a assistência aos interessados não demorava a ocorrer.

A estudante de análises clínicas Graziele Dantas, 31, esclareceu que buscou o posto físico porque não gosta de fazer procedimentos pela internet. “Eu tinha o cartão quando fiz outro curso, na época do DFTrans. Por isso precisei pegar um novo. Na época do DFTrans, sempre estava lotado e as filas eram enormes. Agora está super vazio”, disse, pouco antes de ser chamada para o atendimento.

O empresário Luciano de Jesus Maciel da Silva, 44, foi com a filha mais velha, a estudante Beatriz Siqueira Maciel, 18, ao posto de atendimento da Galeria dos Estados para cadastrar a caçula, de 9 anos, no benefício. No local, não havia fila e o tempo de espera foi de cerca de cinco minutos.

“Nós até brincamos dentro do carro quando estávamos vindo, porque, antigamente, chegávamos bem cedo para resolver problemas relacionados ao passe da Beatriz. Desta vez, fomos surpreendidos com a rapidez. Em 20 minutos, resolvemos tudo. O governo investiu no sistema e distribuiu o serviço. Isso já começou a gerar alívio para o cidadão”, avaliou Luciano.

100% Digital

Um dos principais aprimoramentos é que não há mais a exigência de iniciar os trâmites pela internet nem ter que homologar documentos nos postos de atendimento. Identidade, CPF e foto são inseridos no sistema e conferidos por profissionais do BRB Mobilidade.

Também deixa de ser obrigatória a apresentação de declaração escolar. Como os centros de ensino precisam passar a lista dos matriculados para o Banco de Brasília, basta a instituição fazer a checagem, sem a necessidade de que o beneficiário tenha que se dirigir até o colégio ou a faculdade para pegar o documento.

O estudante só precisa ir a um guichê para pegar o cartão físico, que é entregue em um ponto de retirada escolhido pelo próprio usuário no site de cadastro. No caso do Passe Livre, são 10 unidades de atendimento ao aluno, em diferentes localidades do DF. Para o restante da população que utiliza o transporte público em geral, o BRB oferece 80 postos de atendimento.

O banco também lançou um site, o mobilidade.brb.com.br, para oferecer atendimento; desenvolveu um aplicativo – o BRB Mobilidade (disponível nas lojas iOS e Android); e criou uma central de atendimento exclusivo ao usuário 3120-9500.

Confira aqui a lista completa de atendimento aos beneficiários do Passe Livre Estudantil:

  • 108 Sul (Galeria do Metrô);
  • Galeria dos Estados;
  • Mezanino da Rodoviária do Plano Piloto;
  • Sobradinho;
  • Taguatinga;
  • 112 Sul;
  • Planaltina;
  • Gama;
  • Brazlândia;
  • Santa Maria.

Mais lidas
Últimas notícias