Em alta, casos de alcoolemia ao volante chegam a 22.379 em 2019

Em 2019, a média chegou a 61 autuações por dia no Distrito Federal. A maioria dos motoristas se recusa a fazer o teste do bafômetro

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 14/01/2020 10:38

O Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF), por meio de um levantamento parcial, registrou que, em média, 61 pessoas foram autuadas por alcoolemia por dia na capital federal em 2019. No total, são 22.379 casos, representando um aumento de 3% com relação a 2018. Pelo caráter ainda inacabado dos números, o órgão diz que os dados podem aumentar, “pois há multas em processamento”.

A listagem leva em consideração os artigos 165 do Código Brasileiro de Trânsito (CTB), que versa sobre a direção sob a influência de álcool, e o 165-A, quando há a recusa de ser submetido a teste que permita certificar tal influência.

Conforme mostram os números, cerca de três em cada quatro autuações são feitas por causa da recusa de se fazer o teste do bafômetro. No ano passado, foram 16.717 infrações resultantes da negação e 5.662 depois de feita a comprovação.

Ambas as situações também representam aumento quando comparadas com 2018. No ano retrasado foram registradas 16.380 situações em que o motorista se recusou a fazer qualquer teste para comprovar ingestão de álcool antes de dirigir e 5.347 infrações foram registradas após a aferição. No total foram 21.727 autuações.

Infração gravíssima

O CTB considera infração gravíssima tanto a ação de dirigir sob efeito de álcool como se negar a fazer o teste. Nas duas situações,  a multa é de R$ 2.934,70, a carteira de habilitação é recolhida e o veículo é retido. Se o motorista for reincidente, é cobrado o dobro do estipulado, chegando a R$ 5.869,40.

Últimas notícias