Polícia acha fêmur e suspeita que seja de vigilante esquartejado

Restos de coxa foram localizados na manhã deste sábado perto do lugar onde outras partes da vítima foram encontradas. PCDF investiga caso

Hugo Barreto/Metrópoles

atualizado 16/11/2019 17:16

A Polícia Civil do DF encontrou um fêmur ao lado da Escola Classe 325 de Samambaia na manhã deste sábado (16/11/2019). Segundo os investigadores, o material passará por perícia para determinar se pertencia ao vigilante Marcos Aurélio Rodrigues de Almeida, 32 anos.

O trabalhador foi esquartejado. A 32ª Delegacia de Polícia (Samambaia Sul) investiga o caso e procura pelo paradeiro da cabeça e de uma das coxas do vigilante – a perícia precisa confirmar se o que foi achado nesta manhã pertencia ao vigilante morto. Os investigadores prenderam um casal suspeito do crime (*), no dia 13 de novembro.

O fêmur localizado nesta manhã foi encontrado muito perto do local onde policiais recolheram o tronco de Marcos Aurélio. Por isso, existe a suspeita de que a parte possa realmente pertencer à vítima. Mas apenas o laudo pericial poderá confirmar.

A noiva do vigilante, a brigadista Francisleide Braga de Sousa, 38 anos, desabafou sobre a situação. “Ainda não sabemos se é mesmo a coxa dele. Mas esperamos Justiça. Isso não pode ficar impune. Um crime desses… monstruoso e bárbaro. A família toda quer eles presos”, disse.

Marcos Aurélio desapareceu na manhã de 9 de novembro de 2019. No dia 11 de novembro, a Polícia localizou parte do corpo em um bueiro na quadra 327 de Samambaia. No dia seguinte, a identidade da vítima foi revelada. O caso ainda está em investigação.

(*) Por serem considerados suspeitos, o Metrópoles, por enquanto, não vai divulgar os nomes dos dois.

Últimas notícias