*
 

A Polícia Civil deflagrou, na manhã desta segunda-feira (5/11), a Operação Latus, para prender uma organização criminosa especializada em roubo a bancos. As investigações tiveram início em 11 de setembro, quando o grupo explodiu caixas eletrônicos em uma agência bancária de Santa Maria.

Foram cumpridos três mandados de prisão e seis de busca e apreensão. A Polícia Civil ainda procura integrantes em Londrina, no Paraná. A ação foi batizada de Latus devido ao modo de agir dos criminosos, que entraram no local onde é feito o reabastecimento dos caixas eletrônicos pela porta lateral.

PCDF/Divulgação

Equipamentos apreendidos

Outros casos
O último caso registrado no DF foi em 22 de outubro no Shopping Pier 21. De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), cinco bandidos vestidos com balaclavas – para tapar os rostos – chegaram em um Mitsubishi Pajero. Um deles permaneceu no veículo. Enquanto isso, os outros quatro entraram por trás do centro comercial.

Portando uma pistola, um dos suspeitos rendeu um segurança, enquanto os demais montavam os explosivos. A Polícia Militar foi acionada pouco depois das 3h por um dos vigilantes do Pier 21. Na ligação, o trabalhador informou ter ouvido dois estrondos e vários tiros. Relatou ainda que havia pessoas rendidas no chão.

Segundo a corporação, um dos bandidos se feriu na explosão. Quando um comparsa foi socorrê-lo, um dos seguranças conseguiu fugir. A PMDF informa que os criminosos explodiram dois dos quatro caixas eletrônicos da Caixa Econômica Federal instalados no local. Porém, a quantia levada por eles ainda não foi calculada. Até o momento, ninguém foi preso.

Com base em dados da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social (SSP), foram registradas, entre janeiro e 22 de outubro deste ano, seis ocorrências de arrombamento de caixas eletrônicos no Distrito Federal. Do total, quatro foram consumadas, e duas, tentadas.

Em 2017, foram 20 ocorrências tentadas ou consumadas e, em 2016, 36. Ainda segundo a pasta, os ataques acontecem com o uso de maçarico, explosivos ou outros meios.

Em julho, em outra ação ousada, criminosos explodiram dois caixas eletrônicos no anexo do Palácio do Buriti, sede do Governo do Distrito Federal, por volta de 3h40. Os equipamentos estavam instalados na área do restaurante do órgão.

Viaturas da Polícia Militar e um helicóptero da Polícia Civil realizaram buscas e, minutos depois, um veículo foi encontrado pegando fogo nas proximidades do Estádio Nacional Mané Garrincha e do Colégio Militar de Brasília. Após verificação, a equipe responsável pela ocorrência confirmou que se tratava do automóvel envolvido no crime. Quatro meses depois, ninguém foi preso ainda.

Aguarde mais informações