*
 

A estrutura da nova gestão da Polícia Civil Distrito Federal (PCDF) começa a ficar clara. Desde a confirmação do delegado Robson Cândido como sucessor de Eric Seba na direção da corporação, anunciada no dia 31 de outubro, a “cara” da nova gestão começa a se formar.

A chefia do Departamento de Polícia Especializada (DPE), complexo de edifícios onde funcionam várias coordenações e delegacias, ficará a cargo de Victor Dan, hoje o delegado-chefe da 23ª DP (P Sul). Ele chegou a concorrer a uma vaga na lista tríplice da instituição, conquistou 110 votos e ficou em sétimo lugar.

Nos últimos dois anos, Dan deflagrou uma série de operações importantes, como a Paiol, que desmantelou um esquema de tráfico de armas no DF; e a Confraria, que desarticulou uma organização criminosa responsável por grilar terras e fomentar o tráfico de drogas no Sol Nascente, em Ceilândia.

Confirmado para o primeiro escalão também está Wellerson Gontijo. Ele será o chefe da Divisão de Gestão da Informação (DGI). Delegado experiente, integra os quadros da corporação há 23 anos. Atuou em várias frentes, como plantonista, cartorário, assessor da Direção-Geral, chefe da 16ª (Planaltina), da 35ª (Sobradinho II) e da Copol (CLDF), coordenador de Inteligência da Secretaria de Justiça e subsecretário de Inteligência. Gontijo foi responsável pela inteligência de grandes eventos em Brasília. Atualmente, chefia a mesma área no Tribunal de Contas do Distrito Federal.

Mais nomes
O Departamento de Gestão de Pessoas (DGP) ficará sob o comando de Fernando César Lima de Souza. O delegado estava lotado na 29ª Delegacia de Polícia Civil do Riacho Fundo. Entre outras unidades, passou pela chefia do Departamento de Administração Geral (DAG) e por Taguatinga. Agora, assume posto de destaque na cúpula da corporação.

No rol das mudanças para cargos estratégicos está a nova indicada para chefiar a Academia da Polícia Civil, Gláucia Cristina da Silva. Ela deixará a direção da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual ou Contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência (Decrin).

Ela estava à frente da unidade especializada desde a inauguração, em fevereiro de 2016. Considerada de perfil técnico, já passou por unidades importantes, como a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA).

Dois departamentos estratégicos não sofrerão mudanças. O delegado Jeferson Lisboa seguirá à frente do Departamento de Polícia Circunscricional (DPC), responsável pelas 34 delegacias espalhadas em Brasília e nas regiões administrativas. Silvério Moita permanecerá no Departamento de Administração Geral (DAG) da corporação.

Na quarta (7), o Metrópoles já havia antecipado a confirmação de Anderson Espíndola para a chefiada corregedoria-geral da Polícia Civil. E de Benito Tiezzi, que será o diretor-geral adjunto da PCDF.