*
 

A partir de janeiro de 2019, o delegado Wellerson Gontijo vai chefiar a Divisão de Gestão da Informação (DGI) da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF). O nome dele para a cúpula da corporação foi revelado pelo Metrópoles nesta quinta-feira (8/11).

Gontijo é delegado experiente. Integra os quadros da corporação há 23 anos. Já atuou em várias frentes, como plantonista, cartorário, assessor da Direção-Geral, chefe da 16ª (Planaltina), da 35ª (Sobradinho II), chefe da Copol (CLDF), coordenador de Inteligência da Secretaria de Justiça e subsecretário de Inteligência.

Foi responsável pela inteligência de grandes eventos em Brasília. Atualmente, chefia a mesma área no Tribunal de Contas do DF (TCDF). Outro nome confirmado nesta quinta é o do atual delegado-chefe da 23ª DP (P Sul), Victor Dan, que foi convidado para assumir o Departamento de Polícia Especializada (DPE), também conforme revelou o Metrópoles.

Recentemente, Victor Dan concorreu a uma vaga na lista tríplice da PCDF e conquistou 110 votos. Ficou em sétimo lugar. Entre os escolhidos pelos membros da corporação, Robson Cândido, chefe da 11ª Delegacia de Polícia (Núcleo Bandeirante), foi anunciado pelo governador eleito Ibaneis Rocha (MDB) como diretor da Polícia Civil do Distrito Federal.

Nos últimos dois anos, Dan deflagrou uma série de operações importantes, como a Paiol, que desmantelou esquema de tráfico de armas no DF; e a Confraria, que desarticulou organização criminosa responsável por grilar terras e fomentar o tráfico de drogas no Sol Nascente, em Ceilândia.

O delegado Jeferson Lisboa seguirá à frente do Departamento de Polícia Circunscricional (DPC) e ficará responsável pelas 34 delegacias espalhadas em Brasília e nas regiões administrativas. A decisão é do novo diretor-geral da Polícia Civil, Robson Cândido.

Lisboa possui o perfil que Cândido busca. É pacificador e tem o respeito dos pares. Ele será fundamental no cumprimento de uma das principais promessas do diretor, a reabertura das delegacias. Jeferson chegou a ser cogitado para assumir como diretor-geral adjunto, mas, conforme o Metrópoles antecipou nessa quarta-feira (7), o escolhido foi o ex-presidente do Sindicato dos Delegados Benito Tiezzi.

A indicação de Benito Tiezzi para ocupar a direção-geral adjunta da PCDF é coerente com o resultado da lista tríplice. Eleito em primeiro lugar, Robson Cândido teve 265 votos. Benito ficou em segundo, com 242 votos. Outro nome confirmado é o de Anderson Espíndola. Ele foi indicado para chefiar a corregedoria-geral.