Briga de trânsito: PCDF busca imagens para identificar autor de tiros

Caso ocorreu em Taguatinga. Vítima está internada, com bala alojada na cabeça. Mãe pede justiça

Jacqueline Lisboa/Esp. MetrópolesJacqueline Lisboa/Esp. Metrópoles

atualizado 05/08/2019 18:07

Revolta. Esse é o sentimento de Nilza Terezinha Perruchetti, mãe de Weverton Leonardo Elias, 31 anos, alvo de dois tiros na noite da última sexta-feira (02/08/2019), após uma fechada no trânsito. O caso ocorreu na Avenida Elmo Serejo, em Taguatinga, na altura da QNL 2. Agora, a mulher espera que a Polícia Civil, que usará imagens de câmeras de segurança para tentar identificar o criminoso, consiga prender o autor dos disparos.

Nilza conta que o filho saiu da casa dele em Águas Claras e seguia para encontrar um amigo em Ceilândia. Na altura da Super Adega, no entanto, Weverton teria entrado bruscamente na frente de um carro. O motorista do outro veículo sacou uma arma e disparou.

Foram dois tiros seguidos, disparados com perfeição, pois o vidro traseiro do automóvel de Weverton, uma Gurgel, tem apenas um buraco de bala. “Um pegou só de raspão na orelha e na bochecha. Parece que ele virou o rosto e o segundo tiro pegou na cabeça dele”, relatou a mãe da vítima.

Weverton chegou a ser encaminhado ao Hospital Regional de Taguatinga (HRT), mas, devido ao agravamento do estado de saúde, foi transportado para o Hospital de Base.

“Ainda não retiraram a bala da cabeça dele e o médico disse que nem sabe se vai tirá-la. Ele está inconsciente e, se sobreviver, pode ainda ficar com alguma sequela”, lamenta a mãe do rapaz.

A sorte, conta Nilza, é que um bombeiro passava no local na hora em que aconteceu a tentativa de homicídio. “Parece que meu filho parou o carro no meio da pista depois do tiro e tentou descer. Por isso tem sangue na porta. Pelo menos conseguiram socorrê-lo rapidamente.”

Discussão

As primeiras suspeitas eram de que Weverton teria discutido com o motorista autor dos tiros, mas Carlos Alberto Perruchetti, 61, tio da vítima, não acredita nessa hipótese. “O vidro do carro dele nem abre e o motor faz muito barulho. É impossível eles terem se comunicado”, diz.

O caso está sob investigação da 12ª DP (Taguatinga Centro). A unidade policial vai pegar imagens de câmeras de segurança da Avenida Elmo Serejo para entender a sequência dos fatos.

“Parece que não há testemunha, o que acho pouco provável. Nos disseram, então, que pediram todas as imagens do dia, local e horário para tentar identificar os autores”, afirmou Carlos Alberto.

Até agora, a única pista é a fala de Weverton quando ainda estava consciente. Segundo consta na ocorrência registrada, os tiros partiram de um Fiat Uno do modelo mais recente.

No depoimento, Weverton relatou que não tinha condições de apontar outras características do carro nem do atirador. De acordo com o delegado adjunto da 12ª DP, Paulo Henrique Almeida, o inquérito foi aberto nesta segunda (05/08/2019), mas policiais estão nas ruas desde a data do ocorrido buscando informações sobre o criminoso.

“Já demos início às investigações e vamos tentar identificar o autor, seja por meio de imagens ou ouvindo testemunhas. Em pouco tempo, deveremos ter alguma novidade”, disse o delegado.

Agora, Nilza diz esperar que as investigações cheguem aos responsáveis. “Quero que justiça seja feita. Nenhuma família merece passar pelo o que estou passando.”

Últimas notícias