Alvo da PCDF, ladrão de lojas esportivas é achado embaixo da cama

Segundo a polícia, Rafael Nunes agiu em conjunto com um suspeito conhecido como "Paulo Capeta"

PCDF/ReproduçãoPCDF/Reprodução

atualizado 14/05/2019 9:30

Na manhã desta terça-feira (14/05/2019), policiais da 1ª DP (Asa Sul) deflagraram a Operação Arcanjo para cumprir um mandado de prisão e quatro de busca e apreensão. O trabalho faz parte de uma investigação que apura o crime de roubo ocorrido na loja Grandes Torcidas, na mesma região administrativa.

Durante as buscas, Rafael Gomes Nunes, conhecido como Rafinha, de 18 anos, se recusou a abrir a porta. Os policiais invadiram a residência e o encontraram escondido embaixo da cama. Segundo a Polícia Civil, ele é responsável por cometer os crimes ao lado de Paulo Henrique Ramos Barbosa, ou “Paulo Capeta”, que está foragido.

Confira como foi a prisão do criminoso:

Na casa do suspeito, em Santo Antônio do Descoberto (GO), no Entorno do DF, os policiais encontraram parte das mercadorias. Além de Rafael, outro três acusados foram alvo de busca e apreensão no mesmo município. Os policiais encontraram materiais esportivos suspeitos em todos os endereços.

Histórico
Os criminosos furtaram a loja do Flamengo, em março, e a do Corinthians, na Asa Sul, em abril. O crime ocorreu no dia em que o time sagrou-se campeão paulista de futebol de 2019. A equipe derrotou o São Paulo, no Itaquerão (SP), por 2 x 1.

De acordo com a 1ª DP, “Paulo Capeta” é acusado de pelo menos três investidas à loja do Flamengo, na Asa Sul, entre dezembro do ano passado e março de 2019.

O homem já foi indiciado 27 vezes pelos crimes de furto (simples, qualificado e tentado) e formação de quadrilha. Está em prisão domiciliar. Age na região desde 2011, segundo os investigadores. É considerado foragido, uma vez que tem mandado de prisão em aberto.

Quem tiver informações sobre o criminoso pode entrar em contato com a PCDF por meio do número 197. As denúncias são anônimas.

Paulo está foragido

Um dos furtos na loja oficial do Flamengo ocorreu no dia 23 de março, dois dias após o time anunciar o novo modelo do uniforme principal que usará durante o ano. Segundo a proprietária do estabelecimento, Glória Vale, os criminosos levaram 40 camisetas do time, agasalhos de treino, chinelos, bonés, além de relógios oficiais e o dinheiro que estava no caixa.

O crime foi registrado por câmeras de segurança do estabelecimento. Encapuzados, dois bandidos quebraram a vidraça do estabelecimento, entraram e pegaram os produtos. A ação durou pouco mais que um minuto.

Glória estima prejuízo total em torno de R$ 20 mil, incluindo o reparo da vitrine. De acordo com a comerciante, esse é o terceiro assalto que a loja é alvo desde dezembro do ano passado. “São sempre os mesmos. Olhando as filmagens já reconheci os bandidos, e a polícia não faz nada”, reclamou.

Aguarde mais informações

Últimas notícias