Secretário de Saúde diz que DF tem “capacidade de vacinar a todos” este ano

Campanha de imunização contra a Covid-19 começou nesta terça-feira, às 10h, nas unidades de saúde do DF

atualizado 19/01/2021 15:24

Osnei Okumoto e a enfermeira Lígia Dantas durante vacinação contra Covid019 no DFGustavo Moreno /Especial para o Metrópoles

O ponta pé inicial na campanha de vacinação contra a Covid-19 no Distrito Federal aconteceu na manhã desta terça-feira (19/1) em um “dia histórico para a saúde do DF”, segundo o secretário de Saúde Osnei Okumoto, que passou a manhã no Hospital Regional da Asa Norte (Hran). Foi na unidade, referência em tratamento contra o novo coronavírus na capital, que a primeira moradora do DF foi vacinada: uma enfermeira, de 31 anos, que atua na linha de frente da pandemia.

Okumoto celebrou a chegada da vacina e comemorou as atuais taxas de transmissibilidade do vírus no DF, abaixo do registrado anteriormente. “Graças a Deus, o Distrito Federal está com índice de transmissão 0,84. Então, estamos em um momento ainda de conforto e solicitando para que as pessoas tenham paciência nesse período de vacinação. Nós temos as etapas necessárias para poder organizar a vacinação e todo mundo será vacinado no seu tempo correto”, comentou.

Desde o início da pandemia de coronavírus, o DF já notificou 265.274 contaminações e 4.427 óbitos em decorrência da doença. Nessa segunda-feira, foram registradas 6 mortes e 1.047 novas infecções.

0

O secretário reforçou, ainda, a importância e a segurança da vacinação. “Eu fui secretário de Vigilância à Saúde até 2018. Nós fazíamos a aquisição das vacinas. São 19 vacinas oferecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para todo o Brasil. É o maior sistema de vacinação do mundo. Tenho certeza que a Anvisa, em cima da sua capacidade técnico e científica, aprovou a vacina porque ela traz segurança para a população. Segundo Osnei, a pasta prevê vacinar toda a população do DF até o final de 2021.

“Há uma previsão já inicial do Ministério da Saúde, no cronograma de entrega das vacinas. E a gente tem, no segundo semestre deste ano, total capacidade de estar vacinando todos, porque a oferta de vacinas, através da produção do Instituto Butantan, vai ser alta e a gente vai poder, então, vacinar a todos”, enfatizou.

O governador Ibaneis Rocha (MDB) também participou da solenidade. Na ocasião, o chefe do Executivo local agradeceu aos trabalhadores da Saúde que atuam na linha de frente e “aqueles que compõem todo o sistema, desde a limpeza e a vigilância”.

“Nesse momento, o que nós temos que fazer, e acho que isso compete a todos os moradores do Distrito Federal e aos profissionais da imprensa, é agradecer aos profissionais de saúde”, ressaltou.

Ibaneis Rocha, governador do Distrito Federal

A vacinação contra a Covid-19 começou às 10h desta terça, nas unidades de saúde locais. A enfermeira Lídia Rodrigues Dantas, de 31 anos, foi a primeira imunizada. Ela trabalha no box de emergência do pronto-socorro da Clínica Médica da unidade.

“Ainda estou sem acreditar, mas estou emocionada e feliz por ser a primeira vacinada e grata à oportunidade”, disse a primeira servidora vacinada no DF.

Além Lídia, na solenidade que marcou o início da imunização no DF, outras cinco pessoas foram vacinadas na área externa do Hran. Segundo Okumoto, a previsão é que todo o Distrito Federal esteja imunizado até o fim do ano.

Assista ao vídeo do momento em que Lídia foi vacinada:

Durante a cerimônia, Ibaneis destacou o trabalho dos profissionais de saúde. “Tiveram, talvez, o ano mais difícil das suas vidas. Trataram de uma doença que era totalmente desconhecida um ano atrás e nós conseguimos, com o trabalho deles, com o esforço de cada um, superar o ano de 2020 sem que nenhum paciente no Distrito Federal tenha deixado de ser atendido”, declarou o chefe do Executivo local.

“Não é por menos que se começa a vacinação exatamente pelo grupo que está dentro dos hospitais. É como uma forma de proteção, mas também como reconhecimento desta categoria tão importante”, completou.

Ainda conforme Ibaneis, o momento da vacinação nesta manhã foi “histórico”. “Que a gente possa, o mais breve possível, ter toda a população vacinada, deixando esse terror que foi a pandemia para trás”, afirmou o governador.

Inicialmente, a previsão era de que viriam 105.960 doses à capital. No entanto, segundo a Secretaria de Saúde, chegaram 200 a mais. Portanto, o DF soma 106.160 doses da vacina Coronavac, que vão imunizar 53.080 pessoas. A vacina foi feita em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo, e a farmacêutica chinesa Sinovac.

Grupos prioritários

No primeiro momento, serão contemplados trabalhadores da saúde que estão na linha de frente no combate à pandemia, idosos e deficientes que estão em instituições de internação, cuidadores que atuam nessas instituições e indígenas.

As direções dos hospitais públicos e privados, além das gerências das unidades básicas de saúde, fizeram uma lista com os nomes dos profissionais que atuam na linha de frente e serão vacinadas nesta primeira fase. O profissional poderá escolher o local mais adequado para receber a primeira dose que será vinculada ao CPF. A segunda dose deverá ser administrada 14 dias após a primeira.

Para atender os idosos e deficientes que vivem em instituições de internação e indígenas, a Secretaria de Saúde irá disponibilizar seis equipes volantes para imunizá-los sem que haja necessidade de eles irem até um dos 15 pontos.

Segundo o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero, nesta terça, duas equipes farão a  vacinação nas casas de internação e asilos.

Segunda dose

Após o recebimento da primeira dose, as pessoas pessoas que foram imunizadas devem guardar o comprovante de vacinação para que o profissional de saúde identifique qual vacina foi tomada e que a segunda dose seja do mesmo laboratório fabricante.

Ainda não há previsão do recebimento de mais doses para o DF. A Secretaria de Saúde irá divulgar amplamente, de forma antecipada, a data de início da vacinação para os próximos grupos.

Números de vacinados

• Profissionais de saúde pública: 27.500
• Indígenas: cerca de 300
• Profissionais de saúde da rede privada: cerca de 20 mil
• Rede de vacinação: 169 salas de vacina na campanha, sendo 15 na primeira fase

Onde será feita a vacinação?

Hospital Regional da Asa Norte;
Hospital Regional de Ceilândia;
Hospital Materno Infantil de Brasília;
Hospital de Apoio de Brasília;
Hospital Universitário de Brasília;
Hospital de Base;
Hospital Regional de Sobradinho;
Hospital Regional de Planaltina;
Hospital Regional de Brazlândia;
Hospital da Região Leste;
Hospital Regional de Taguatinga;
Hospital Regional de Samambaia;
Hospital Regional de Santa Maria;
Hospital Regional do Gama;
Hospital Regional do Guará;
Central de Regulação do Samu (SIA).

Últimas notícias