Sarampo: veja os pontos de vacinação abertos neste sábado no DF

Campanha Nacional foca inicialmente em crianças de 6 meses a 5 anos de idade. Só no Distrito Federal, há mais de 60 unidades funcionando

Breno Esaki/Saúde DFBreno Esaki/Saúde DF

atualizado 19/10/2019 10:27

Neste sábado (19/10/2019), é realizado o Dia D de Vacinação contra o Sarampo em todo o país, uma etapa da campanha nacional promovida pelo Ministério da Saúde. O foco é proteger as crianças maiores de 6 meses e menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias) com a vacina tríplice viral que também é eficaz contra rubéola e caxumba.

No Distrito Federal, são mais de 60 unidades abertas e o atendimento é realizado das 8h às 17h – clique aqui para saber os endereços das salas de vacina. A campanha segue até 25 de outubro. A próxima etapa acontece de 18 a 30 de novembro e terá como alvo pessoas de 20 a 29 anos.

Nesta campanha, foi intensificada a dose zero, uma medida preventiva ao aumento de casos de sarampo em crianças abaixo de 1 ano de idade. Em surtos nacionais anteriores, foram elas que evoluíram para casos mais graves e óbitos, segundo o Ministério da Saúde. No surto atual, há óbitos de crianças em São Paulo e Pernambuco.

Embora não tenha um caso registrado no DF desde 1999, a enfermidade continua em circulação. Os principais sintomas são febre alta, manchas vermelhas pelo corpo e tosses. “A taxa de infecção, de contagiosidade do sarampo é bem alta. A vacinação é a única forma de prevenir e acabar com toda a cadeia de transmissão”, assegura Marília Higino de Carvalho, médica pediatra e gerente de Vigilância das Doenças Imunopreveníveis e de Transmissão Hídrica e Alimentar da Secretaria de Saúde (Gevitha).

Vacina

É importante lembrar que a dose extra, chamada de dose zero, não consta no calendário nacional de vacinação. Portanto, ela não substitui as outras duas, ministradas aos 12 meses de idade (1ª dose) e aos 15 meses (2ª dose). Essas devem ser aplicadas para conferir proteção prolongada contra a enfermidade.

Outro objetivo da campanha é que os os pais ou responsáveis levem as crianças às unidades básicas de saúde, com o cartão de vacina, para que a situação vacinal das crianças seja verificada. “Os pais devem ficar atentos ao novo reforço, que é a dose zero, que protege as crianças abaixo de 1 ano, que têm o maior risco de complicações e de óbito”, frisa Renata.

O sarampo é contagioso e o vírus é transmitido por uma pessoa doente ao espirrar, tossir ou falar. Os sintomas são manchas vermelhas pelo corpo, febre, coriza, conjuntivite e manchas brancas na mucosa bucal. A patologia pode acometer adultos e crianças, com risco de complicações graves e até de evolução para óbito. A vacina é a única maneira de evitar que isso aconteça. (Com informações da Agência Brasília)

Últimas notícias