DF: cinco unidades de saúde atendem apenas pacientes graves

Três UPAs e dois hospitais tiveram serviço restrito a pacientes com classificação de risco vermelha

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 27/04/2019 8:05

Cinco unidades de saúde do Distrito Federal tiveram restrição de atendimento nesta sexta-feira (26/04/2019) apenas a pacientes com a classificação de risco vermelha – aqueles considerados mais graves. Para os demais casos, a Secretaria de Saúde orienta que usuários procurem primeiro a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima.

A assessoria de imprensa da pasta confirmou a restrição nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Samambaia e Recanto das Emas, na pediatria do Hospital Regional de Taguatinga (HRT) e na emergência do Hospital Regional de Samambaia (HRSam). O Metrópoles entrou em contato com a central de regulação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e foi informado que a UPA de Sobradinho também atendia apenas pacientes gravíssimos.

A SES explicou que, no pronto-socorro da pediatria do HRT, a demanda supera a capacidade devido à sazonalidade das doenças respiratórias, que acometem principalmente as crianças. Na unidade, estavam de plantão um cardiologista, três pediatras e um ginecologista. No total, 79 pessoas encontravam-se internadas na emergência, incluindo 24 na pediatria, na noite de sexta.

A UPA do Recanto opera com capacidade máxima. Segundo a pasta, dois clínicos atendem 16 pacientes internados nas salas vermelha e amarela.

No HRSam, um clínico e três ginecologistas estão de plantão. Já na UPA da cidade, há apenas um clínico e 11 pessoas internadas.

O Governo do Distrito Federal informou que vem adotando medidas para suprir a falta de recursos humanos. Foi autorizada a contratação de 561 servidores para a área de saúde pública. Há neste momento, a previsão de 33 nomeações para cargos de médicos, em diversas especialidades.

Últimas notícias