*

Mais lidas

Comissão de Direitos Humanos cobra explicações sobre necrotério

Colegiado da Câmara dos Deputados enviou questionamentos à Secretaria de Saúde e pediu esclarecimentos sobre as precárias condições da câmara mortuária do Hospital Regional da Asa Norte. Caso foi denunciado pelo Metrópoles na terça-feira (13/9)

iStock/Reprodução
Otto Valle
 

Após o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) cobrar explicações sobre as condições do necrotério do Hospital Regional da Asa Norte (Hran) nesta sexta-feira (16/9), a Câmara Legislativa também acionou o Executivo. O deputado Ricardo Vale (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos da CLDF, encaminhou ofício ao secretário de Saúde, Humberto Fonseca, com pedido de informações sobre o caso, denunciado pelo Metrópoles na terça (13). Segundo o parlamentar, “as denúncias merecem atenção máxima do Governo do Distrito Federal”.

Na terça-feira (13), o Metrópoles revelou que a câmara fria do Hran estava com defeito na refrigeração, fazendo com que o cheiro de corpos em decomposição se espalhassem pela unidade. Um vídeo feito por servidores revelava um cenário semelhante ao de um filme de terror, com restos mortais amontoados nas gavetas, sujeira espalhada pelo local e equipamentos enferrujados.

Veja o vídeo abaixo, não recomendado para pessoas sensíveis

 

Hospital de Base
Na quinta-feira (15), o Metrópoles revelou que as falhas na câmara mortuária do Hran não se restringiam àquele centro de saúde. Na principal instituição do Distrito Federal, o Hospital de Base, o exaustor apresentava falhas e o cheiro do formol usado para preservar os cadáveres se concentrava nas salas, provocando ardência nos olhos, problemas respiratórios e dor de cabeça nos funcionários que trabalham no subsolo.

Além disso, das 16 gavetas disponíveis, apenas sete estavam em uso, pois não havia macas retráteis para içar os corpos aos locais mais altos.

Por meio de nota, a Coordenação de Anatomia Patológica informou que, em função do problema no exaustor, na tarde de terça (13), “foi solicitado ao Hospital de Base o embalsamamento dos corpos, o que retarda o processo de decomposição”.

Em relação ao Hran, a pasta afirmou que “houve um acúmulo pontual de cadáveres na última semana. Porém, a situação foi normalizada”. “A Coordenação de Anatomia Patológica da Secretaria de Saúde está trabalhando para solucionar o problema do armazenamento dos corpos no Hran o mais brevemente possível. Neste momento, existe um processo de compra de nova câmara e carro pantográfico (de transporte) em andamento.”

 

 

COMENTE

Hrannecrotério
comunicar erro à redação

Leia mais: Saúde